Internacional Portugal terá eleições legislativas antecipadas em 30 de janeiro

Portugal terá eleições legislativas antecipadas em 30 de janeiro

Após o Orçamento de 2022 não ser aprovado no Parlamento, presidente dissolveu o Legislativo e marcou novo pleito

AFP
O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, anunciou eleições antecipadas

O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, anunciou eleições antecipadas

Carlos Costa / AFP - 4.11.2021

O presidente de Portugal, o conservador Marcelo Rebelo de Sousa, anunciou nesta quinta-feira (4) sua decisão de dissolver o Parlamento e convocar eleições legislativas antecipadas para 30 de janeiro, a fim de superar o bloqueio após a rejeição ao orçamento do Executivo socialista para 2022.

A rejeição ao Orçamento "reduziu totalmente a base de apoio do governo", enquanto 2022 será "um ano decisivo para uma saída duradoura da pandemia e da crise social que nos atingiu", afirmou o chefe de Estado em discurso televisionado.

O primeiro-ministro António Costa, que perdeu o apoio dos partidos de extrema esquerda que tinha desde 2015, já prometeu fazer campanha por "uma maioria fortalecida, estável e duradoura".

À direita, os dois partidos conservadores sofrem divisões internas que poderiam beneficiar o partido de extrema direita Chega.

Mesmo antes da rejeição do projeto de lei do Orçamento, que mergulhou o país em crise há uma semana, o presidente havia alertado os portugueses de que iria antecipar as eleições normalmente marcadas para o outono de 2023.

O chefe de Estado tentava forçar um compromisso entre o governo e os partidos radicais de esquerda porque, em sua opinião, a lei orçamentária era "fundamental" para reativar a economia com a ajuda de fundos europeus do plano de recuperação pós-Covid.

No entanto, os partidos de extrema esquerda votaram contra o Orçamento, ao lado da oposição de direita, pondo fim a uma aliança sem precedentes desde a chegada da democracia portuguesa em 1974.

Os 9 milhões de eleitores serão chamados às urnas pela terceira vez em um ano, após as eleições presidenciais de janeiro e as eleições municipais do fim de setembro.

Últimas