Guerra Israel x Hamas

Internacional Presidente da China pede cessar-fogo imediato em guerra entre Israel e terroristas do Hamas

Presidente da China pede cessar-fogo imediato em guerra entre Israel e terroristas do Hamas

Xi Jinping afirmou que a paz só será alcançada no Oriente Médio quando houver uma 'solução justa para a questão palestina'

AFP
Xi Jinping participou de reunião com líderes do Brics

Xi Jinping participou de reunião com líderes do Brics

Kent Nishimura/Getty Images North America/Getty Images via AFP - 17.11.2023

O presidente da China, Xi Jinping, pediu nesta terça-feira (21) um cessar-fogo imediato e a "libertação dos civis detidos" na guerra entre Israel e os terroristas do Hamas, durante uma cúpula virtual extraordinária do grupo Brics.

"Todas as partes no conflito devem cessar imediatamente o fogo e as hostilidades, acabar com toda a violência e ataques contra civis e libertar os detidos civis para evitar mais perdas de vidas humanas e mais sofrimento", disse Xi, segundo as declarações divulgadas pela agência estatal de notícias Xinhua.

O líder chinês também propôs organizar, quanto antes, uma "conferência internacional pela paz" para tentar resolver o conflito. "Não pode haver paz nem segurança duradouras no Oriente Médio sem uma solução justa para a questão palestina", frisou Xi.

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

Segundo ele, essa conferência permitiria "trabalhar para uma solução rápida para a questão da Palestina que seja global, justa e duradoura". "Desde a eclosão do último conflito palestino-israelense, a China trabalha ativamente para promover negociações de paz e um cessar-fogo", disse Xi.

Pequim forneceu ajuda humanitária a Gaza "e continuará a fazê-lo", completou o presidente.

A África do Sul anunciou nesta segunda-feira (20) essa reunião extraordinária do grupo Brics, cujos países-membros defendem um maior equilíbrio mundial, com menor influência dos Estados Unidos e da União Europeia.

Historicamente, a China sempre foi favorável aos palestinos e apoia a solução de dois Estados. A presença de Pequim no Oriente Médio tem aumentado nos últimos anos, incluindo a participação do país na mediação de conflitos regionais.

'Túnel do terror', localizado sob mesquita em Gaza, leva militares israelenses a esconderijo do Hamas

Últimas