Internacional Primeiro-ministro interino declara estado de sítio no Haiti

Primeiro-ministro interino declara estado de sítio no Haiti

Em comunicado na TV, Claude Joseph pediu calma à população após o assassinato do presidente do país, Jovenel Moise

Agência EFE
Decisão foi tomada após assassinato do presidente Jovenel Moise

Decisão foi tomada após assassinato do presidente Jovenel Moise

EFE/ Cortesía Televisión Pública de Haití

O primeiro-ministro interino do Haiti, Claude Joseph, declarou estado de sítio no país após o assassinato do presidente Jovenel Moise.

Joseph fez o anúncio em um comunicado televisionado, no qual aparece do lado diretor da Polícia Nacional, Leon Charles, e outras autoridades, após presidir um Conselho de Ministros extraordinário, no qual assegurou que "todas as medidas foram tomadas para garantir a continuidade do Estado".

Leia mais: Tóquio registra maior número de casos diários de covid desde maio

"Peço a todas as forças vivas da nação que nos acompanhem na batalha, que nos acompanhem na continuidade do Estado", disse o chefe de governo interino.

Joseph também reiterou que a situação de segurança do país está "sob controle" da Polícia Nacional e das Forças Armadas e pediu calma à população.

Além disso, garantiu que os autores do assassinato de Jovenel Moise serão levados à Justiça e expressou sua solidariedade à família, amigos e aliados do presidente, a quem descreveu como um homem "muito corajoso".

Moise foi morto por pistoleiros não identificados que invadiram sua residência ao amanhecer e que, segundo Joseph, falavam em inglês e espanhol.

Leia mais: Mundo chega a 4 milhões de vítimas de covid-19

A primeira-dama, Martine Moise, que está recebendo atendimento médico em um hospital, também ficou gravemente ferida no ataque.

As ruas de Porto Príncipe permanecem calmas, praticamente vazias, após o assassinato, e a polícia está controlando o acesso ao bairro de Pelerin, onde fica a residência de Moise.

Últimas