Rússia x Ucrânia

Internacional Putin diz a chefe da ONU que ainda tem 'esperanças' em negociações com a Ucrânia

Putin diz a chefe da ONU que ainda tem 'esperanças' em negociações com a Ucrânia

Secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres visita Moscou nesta terça-feira (26) para encontros com líderes da Rússia

  • Internacional | Do R7, com informações da AFP

Vladimir Putin (à esq.) recebeu António Guterres (à dir.) na sede do Kremlin

Vladimir Putin (à esq.) recebeu António Guterres (à dir.) na sede do Kremlin

Reuters - 26.04.2022

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse nesta terça-feira (26) ao secretário-geral da ONU, António Guterres, que ainda confia na possibilidade de uma solução diplomática para o conflito na Ucrânia.

"Apesar de a operação militar [russa na Ucrânia] estar se desenvolvendo, continuamos tendo esperanças na capacidade de alcançar acordos pela via diplomática. Estamos negociando, não rejeitamos [negociar]", disse Putin a Guterres, que visita Moscou.

Sentado em frente a Guterres diante de uma longa mesa, Putin afirmou que as negociações saíram do curso devido às acusações de atrocidades que a Rússia teria cometido na localidade de Bucha, perto de Kiev, capital da Ucrânia.

"Houve uma provocação em Bucha, com a qual o Exército russo não teve nada a ver. Sabemos quem organizou essa provocação, através de quais meios e quais foram as pessoas que a realizaram", acrescentou.

A fala do presidente da Rússia em tom apaziguador se contrapõe à posição do vice-embaixador russo na ONU, Dmitry Polyanskiy, que nesta segunda-feira (25) se mostrou contra um cessar-fogo imediato.

"Não achamos que um cessar-fogo seja uma boa opção no momento, porque a única vantagem que ofereceria seria a possibilidade de as forças ucranianas se reagruparem e fazerem mais provocações", explicou Polyanskiy.

Horas antes do encontro com Putin, Guterres já havia se posicionado a favor de um cessar-fogo o mais breve possível. Para o chefe da ONU, é preciso encontrar caminhos para diminuir o sofrimento dos civis ucranianos. 

"O que nos interessa muito é encontrar os meios para criar as condições de um diálogo eficaz, criar as condições para um cessar-fogo o mais rápido possível", declarou Guterres. "Embora a situação na Ucrânia seja complexa, com diferentes interpretações do que está acontecendo lá, é possível ter um diálogo sério sobre como agir para minimizar o sofrimento do povo."

Últimas