Rússia x Ucrânia

Internacional Putin exige que 'nacionalistas' ucranianos se rendam para resolver questão humanitária em Mariupol 

Putin exige que 'nacionalistas' ucranianos se rendam para resolver questão humanitária em Mariupol 

Cidade próxima da fronteira entre os dois países é o principal ponto de resistência da Ucrânia e foco das ofensivas da Rússia

  • Internacional | Do R7, com AFP e EFE

Presidente da Rússia, Vladimir Putin

Presidente da Rússia, Vladimir Putin

Mikhail KLIMENTYEV / SPUTNIK / AFP

O presidente russo, Vladimir Putin, impôs como condição, nesta terça-feira (29), para a "solução" da situação humanitária na cidade sitiada de Mariupol, o desarmamento de grupos "nacionalistas" ucranianos, informou o Kremlin.

Em uma conversa telefônica com o seu homólogo francês, Emmanuel Macron, Putin "enfatizou que, para resolver a situação humanitária naquela cidade [Mariupol], os milicianos nacionalistas terão de acabar com a sua resistência e depor as armas", afirmou o Kremlin em um comunicado.

Segundo essa mesma fonte, Putin informou Macron sobre as "medidas tomadas pelo Exército russo para entregar ajuda humanitária de emergência e garantir a evacuação segura dos civis" na Ucrânia.

O Kremlin acrescentou que os dois líderes falaram sobre as negociações entre Rússia e Ucrânia, que aconteceram em Istambul, na Turquia, nesta terça-feira. O presidente russo reconheceu os avanços nas negociações com Kiev, mas se manteve inflexível sobre o desejo de seguir com a ofensiva no leste do país vizinho, em particular a tomada de Mariupol.

A Rússia se comprometeu a reduzir a atividade militar em torno de Kiev após essa última rodada de negociação de um cessar-fogo. Já os negociadores ucranianos pediram garantias internacionais para a segurança do país.

Macron conversará também com o presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, para ouvir sobre o andamento das negociações.

Últimas