Internacional Putin parabeniza Raisi e reforça amizade entre Rússia e Irã

Putin parabeniza Raisi e reforça amizade entre Rússia e Irã

Ultraconservador foi eleito no primeiro turno. Rússia é a favor do fim das sanções contra país árabe e preservação do acordo nuclear

AFP
Putin parabenizou Ebrahim Raisi, novo presidente do Irã

Putin parabenizou Ebrahim Raisi, novo presidente do Irã

Majid Asgaripour/WANA (West Asia News Agency) via REUTERS - 18.6.2021

O presidente russo, Vladimir Putin, disse neste sábado (19) que espera que as relações entre Moscou e Teerã sejam fortalecidas, em uma mensagem de congratulações dirigida ao seu novo líder iraniano, Ebrahim Raisi, declarado vencedor nas eleições presidenciais.

"Espero que suas atividades neste alto cargo contribuam para o desenvolvimento de uma cooperação bilateral construtiva em vários campos e nossa colaboração em assuntos internacionais", disse Putin em um telegrama, citado pelo Kremlin.

"Isso responde plenamente aos interesses dos povos russo e iraniano e vai no sentido de fortalecer a segurança e a estabilidade regional", acrescentou o presidente russo.

Putin também lembrou que as relações entre os dois países eram "tradicionalmente amistosas e de boa vizinhança".

O ultraconservador Ebrahim Raisi, chefe da autoridade judiciária iraniana, venceu no primeiro turno os três outros candidatos, após uma campanha eleitoral bastante branda e em um contexto de descontentamento geral diante da crise econômica e social.

A Rússia, a favor da retirada dos Estados Unidos das sanções impostas ao Irã, tem feito campanha nos últimos anos pela preservação do acordo sobre o programa nuclear iraniano.

O Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA), assinado em 2015 pelo Irã e seis grandes potências (China, Estados Unidos, França, Reino Unido, Rússia e Alemanha), foi muito enfraquecido desde que Donald Trump retirou Washington dele em 2018 , antes de restabelecer sanções econômicas contra a República Islâmica.

Em resposta, Teerã eliminou gradualmente a maioria de seus compromissos e ameaçou limitar as inspeções internacionais a suas instalações nucleares.

Últimas