Internacional Repressão a protestos no Irã deixou pelo menos 92 mortos, afirma ONG

Repressão a protestos no Irã deixou pelo menos 92 mortos, afirma ONG

População se mobilizou após a morte da jovem Mahsa Amini, que foi presa por não usar o véu cobrindo os cabelos

AFP
Protestos populares tomaram o Irã após morte de jovem presa por não usar véu

Protestos populares tomaram o Irã após morte de jovem presa por não usar véu

REUTERS - 21.9.2022

Ao menos 92 pessoas morreram no Irã na repressão das manifestações que começaram há duas semanas, após a morte da jovem Mahsa Amini, detida pela polícia da moral, informou neste domingo a ONG Iran Human Rights (IHR).

A ONG registrou 41 pessoas mortas em confrontos na sexta-feira (30) em Zahedan, sudeste do Irã, em uma região de fronteira com Afeganistão e Paquistão, com base em informações de fontes locais, mas não está claro até que ponto estes incidentes estão relacionados com a morte de Amini.

"A comunidade internacional tem o direito de investigar e de impedir que outros crimes sejam cometidos pela República Islâmica do Irã", declarou Mahmud Amiry-Moghaddam, diretor da IHR, que tem sede na Noruega.

Amini, uma curda iraniana de 22 anos, morreu depois de ser detida pela polícia da moral, supostamente por não utilizar o véu da maneira como exige o rígido código de vestimenta das mulheres na República Islâmica. A morte da jovem provocou uma onda de protestos.

Últimas