Rússia x Ucrânia

Internacional Rússia reconhece 'importantes baixas' militares na guerra da Ucrânia

Rússia reconhece 'importantes baixas' militares na guerra da Ucrânia

Governo de Moscou não especificou quantos soldados foram mortos desde o início da invasão, no final de fevereiro

AFP
Militar ucraniano olha veículo militar fuzilado

Militar ucraniano olha veículo militar fuzilado

Ronaldo Schemidt/AFP - 5.4.2022

A Rússia reconheceu nesta quinta-feira (7) que sofreu baixas importantes entre seus militares na Ucrânia, nas palavras do porta-voz do Kremlin, que não especificou números.

"Tivemos baixas importantes entre as tropas, é uma grande tragédia para nós", afirmou Dmitri Peskov em entrevista ao canal privado britânico Sky News, sem informar precisamente números ou posições desses militares.

O Exército de Vladimir Putin reconheceu no fim de março que havia perdido 1.351 soldados e que outros 3.825 ficaram feridos desde o início de sua ofensiva na Ucrânia, em 24 de fevereiro.

Por outro lado, o porta-voz do presidente russo rejeitou as acusações de ter perpetrado um massacre na cidade ucraniana de Bucha.

"Insistimos que toda a situação em Bucha é uma insinuação bem encenada, nada mais. Os corpos encontrados não foram vítimas dos militares russos", disse ele sobre as dezenas de pessoas em roupas civis encontradas mortas após a retirada do Exército russo.

Peskov lamentou que a Assembleia-Geral da ONU tenha votado a favor da suspensão da Rússia de seu Conselho de Direitos Humanos, mas advertiu que Moscou "continuará defendendo seus interesses por todos os meios legais".

Dos 193 membros da assembleia, 93 votaram a favor, 24 contra e 58 se abstiveram. É a segunda suspensão de um país do conselho, depois da Líbia, em 2011.

Últimas