Internacional Rússia recruta militares que estavam fora de serviço desde 2012

Rússia recruta militares que estavam fora de serviço desde 2012

Convocação foi feita para compensar baixas sofridas pelas tropas russas na Ucrânia, segundo Ministério da Defesa do Reino Unido

  • Internacional | Da EFE

Países ocidentais calculam que entre 7 mil e 15 mil russos morreram desde o início do conflito

Países ocidentais calculam que entre 7 mil e 15 mil russos morreram desde o início do conflito

Reuters - 24.02.2022

Em resposta ao alto número de baixas sofridas pelas tropas russas na Ucrânia, o Kremlin está recrutando militares fora de serviço desde 2012 para reforçar seus efetivos, segundo informou neste domingo (10) o Ministério da Defesa do Reino Unido.

As Forças Armadas russas tentam recrutar militares na região moldávia da Transnístria, separada do resto do país pelo rio Dniester e autoproclamada independente, acrescentou a informação de inteligência divulgada pela Defesa britânica no Twitter.

Os países ocidentais calculam que entre 7 mil e 15 mil militares russos tenham morrido desde o início da invasão ordenada pelo Kremlin.

O Ministério da Defesa britânico ressaltou que a retirada das forças russas do norte da Ucrânia evidenciou o "desproporcional" número de "não combatentes" mortos, com destaque para a existência de valas comuns e o uso de reféns como escudos humanos.

O governo britânico também adverte que as tropas de Moscou utilizam artefatos explosivos improvisados para aumentar o número de vítimas, "baixar o moral" dos ucranianos e restringir sua liberdade de movimentação.

Os ataques contra infraestruturas apresentam um alto risco de provocar danos colaterais em civis, de acordo com o Reino Unido, ao reportar uma ação que destruiu um tanque de ácido nítrico na cidade de Ribizhne, na região de Lugansk.

Últimas