Internacional Rússia testa com sucesso míssil balístico intercontinental Sarmat

Rússia testa com sucesso míssil balístico intercontinental Sarmat

Presidente russo Vladimir Putin afirmou que armamento fará Ocidente repensar qualquer tipo de ameaça

AFP
Míssil Sarmat tem a capacidade de atingir qualquer lugar do globo, segundo Vladimir Putin

Míssil Sarmat tem a capacidade de atingir qualquer lugar do globo, segundo Vladimir Putin

Handout/Russian Defence Ministry/AFP

O Exército russo anunciou, nesta quarta-feira (20), que realizou com sucesso o primeiro teste de disparo do míssil balístico intercontinental Sarmat, uma arma de nova geração e muito longo alcance que servirá, segundo o presidente Vladimir Putin, de alerta aos inimigos do país.

"Trata-se de uma arma única, que reforçará o potencial militar das nossas Forças Armadas, vai garantir a segurança da Rússia contra as ameaças externas e vai fazer aqueles que ameaçam nosso país com uma retórica desenfreada e agressiva pensar duas vezes", declarou Putin, após o anúncio televisivo do teste balístico.

"Ressalto que na criação do Sarmat foram usados apenas conjuntos, componentes e peças de produção nacional", acrescentou, em anúncio na televisão. Segundo Putin, o míssil balístico intercontinental pesado de quinta geração Sarmat é capaz de "derrotar todos os sistemas antiaéreos modernos".

Em vídeo, o porta-voz do Ministério da Defesa russo, Igor Konashenkov, disse que o lançamento ocorreu no centro de Plesetsk, na região de Arcangel. Segundo ele, o míssil atingiu o objetivo, o polígono de Kura, na península russa de Kamchatka, no extremo leste, a mais de 5.000 km de distância.

"Uma vez finalizado o programa de provas, o Sarmat passará a fazer parte das forças estratégicas russas", afirmou Konashenkov.

As forças "estratégicas", em sua definição mais ampla, são encarregadas de intervir em caso de guerra, entre outras funções.

Essa arma faz parte de uma série de outros mísseis apresentados em 2018 como "invencíveis" por Vladimir Putin. Entre eles estão os mísseis hipersônicos Kinjal e Avangard.

O Pentágono declarou, no entanto, que o teste realizado pela Rússia não é considerado uma ameaça pelos Estados Unidos e seu aliados. Moscou certificou-se de que Washington recebesse a "devida notificação" do teste, em razão das obrigações impostas pelo tratado nuclear, por isso "não foi uma surpresa", afirmou o porta-voz John Kirby.

Em março, Moscou afirmou ter utilizado o Kinjal pele primeira vez contra alvos na Ucrânia.

O Sarmat, com peso de mais de 200 toneladas, teoricamente tem melhores resultados que seu antecessor, o míssil Voevoda, de 11 mil quilômetros de alcance.

Em 2019, Putin disse que o Sarmat não tinha "praticamente nenhum limite de alcance" e que era capaz de "chegar a seus alvos através dos polos norte e sul".

Últimas