Internacional Saiba quem é a brasileira presa nos EUA por ter participado da invasão do Capitólio

Saiba quem é a brasileira presa nos EUA por ter participado da invasão do Capitólio

Leticia Vilhena Ferreira é engenheira, mora em Illinois e não votou nas eleições americanas, mas admitiu ter atuado com grupos pró-Trump 

  • Internacional | Do R7

Leticia Vilhena Ferreira é a brasileira presa pela invasão do Capitólio

Leticia Vilhena Ferreira é a brasileira presa pela invasão do Capitólio

Arquivo Pessoal

A brasileira Leticia Vilhena Ferreira, 32 anos, foi flagrada pelas câmeras de segurança durante a invasão do Capitólio, em Washington, nos Estados Unidos, no dia 6 de janeiro do ano passado, após a derrota do ex-presidente republicano Donald Trump para o democrata Joe Biden.

Engenheira, Letícia vive nos Estados Unidos com o visto de trabalho. A jovem não votou nas eleições americanas, mas deixou sua casa, na cidade de Indian Head Park, no estado de Illinois, e percorreu cerca de 1.129 km até Washington. A intenção era acompanhar o discurso do ex-presidente Donald Trump, mas ela acabou se envolvendo na invasão do Capitólio, ação que deixou um saldo de cinco mortos.

Nas redes sociais, Leticia informa que atua como engenheira ambiental e sanitária em uma empresa multinacional que produz embalagens sustentáveis. É formada em engenharia pela PUC (Pontifícia Universidade Católica) de Campinas, interior de São Paulo, e pós-graduada pela Universidade da Califórnia, em San Diego. 

O sonho americano e a vida confortável da brasileira em Illinois foram substituídos pela prisão realizada pelo FBI na última quarta-feira (16).

Câmeras de segurança mostram a brasileira entre os invasores do Capitólio

Câmeras de segurança mostram a brasileira entre os invasores do Capitólio

Reprodução/FBI

Leticia foi à capital americana para acompanhar o discurso do ex-presidente republicano Donald Trump, mas decidiu seguir a multidão, que marchava em direção ao Capitólio antes mesmo do discurso acabar. 

Nas imagens é possível ver Leticia dentro do Capitólio, em meio à multidão, usando uma jaqueta camuflada e um gorro vermelho com o nome Trump. Ela também é vista na cripta do prédio, onde os invasores pararam e gritaram palavras de ordem. Não há acusações de praticar atos violentos contra ela.

Em mensagens interceptadas pelo FBI, Leticia mostra arrependimento por ter acompanhado o grupo invasor. "Você acha que eles vão atrás de todas as pessoas que andaram na área do Capitólio?", pergunta um dia depois do episódio a outra pessoa, que não foi identificada.

"Não fique triste. Esteja preparada. Estamos todos f******. Sim, eles irão atrás dessas pessoas", responde o destinatário da mensagem. "Eu fui tão irresponsável de andar até lá. Eu estava com essa família legal. Este cavalheiro e dois filhos. Caminhada pacífica", completa Leticia nas mensagens.

Em abril de 2021, a brasileira recebeu a visita de autoridades e confirmou a participação na invasão. Agora, deve responder à Justiça americana. O R7 não conseguiu contato com a defesa da brasileira.

Desde a invasão do Capitólio, ação que deixou cinco mortos, as investigações do FBI prenderam mais de 750 pessoas em quase todos os 50 estados dos EUA. Cerca de 225 pessoas foram acusadas de atos violentos durante a invasão, inclusive agressões aos agentes do local.

Últimas