Internacional Sobe para 11 número de casos da variante Ômicron em Israel

Sobe para 11 número de casos da variante Ômicron em Israel

País investiga outros 24 pacientes que podem carregar a nova cepa do coronavírus, detectada pela primeira vez na África do Sul

Agência EFE
País fechou a fronteira a turistas para evitar a disseminação da variante Ômicron

País fechou a fronteira a turistas para evitar a disseminação da variante Ômicron

Abir Sultan/EFE/EPA - 28.11.2021

Israel detectou neste domingo (5) mais quatro casos da variante Ômicron do coronavírus e agora tem 11 infecções confirmadas, enquanto outros 24 possíveis contágios estão sendo analisados, o que levou ao fechamento do país para estrangeiros.

"Até hoje, 11 pessoas foram identificadas em Israel como tendo sido expostas à variante Ômicron", anunciou o Ministério da Saúde israelense em nota oficial.

Entre os infectados confirmados neste domingo estão duas pessoas que chegaram da França e foram inoculadas com três vacinas da Pfizer, outra da África do Sul com a mesma programação de imunização, e um viajante dos Estados Unidos que foi vacinado com três doses de Moderna.

A incerteza sobre a nova cepa levou Israel a fechar as fronteiras aos turistas há uma semana, uma medida que manterá ao menos até o próximo dia 16. Já os cidadãos que retornam do exterior precisam respeitar uma quarentena de no mínimo três dias.

Inicialmente, o governo aprovou o polêmico rastreamento tecnológico dos telefones celulares dos infectados com a nova variante pelo serviço de inteligência interna, o Shin Bet. Contudo, a medida foi cancelada no dia 3, após críticas e forte oposição.

Com mais de 60% de sua população inoculada com duas doses e mais de 40% também com a dose de reforço, Israel vem registrando números de infecção muito baixos há quase dois meses, mas as autoridades querem evitar a todo custo o impacto da nova mutação.

"Temos que ser cautelosos. Esta é uma nova tensão que ainda não conhecemos o suficiente, mas sabemos com um alto nível de certeza que é altamente contagiosa", afirmou neste domingo o primeiro-ministro israelense, Naftali Benet.

Últimas