Estados Unidos

Internacional Submarino nuclear dos EUA faz escala na Coreia do Sul pela primeira vez em quatro décadas

Submarino nuclear dos EUA faz escala na Coreia do Sul pela primeira vez em quatro décadas

Seul e Washington intensificaram a cooperação em defesa, após Kim Jong-un realizar diversos testes balísticos

AFP
Submarino dos Estados Unidos equipado com armas nucleares fez escala em um porto sul-coreano

Submarino dos Estados Unidos equipado com armas nucleares fez escala em um porto sul-coreano

Reprodulção Twitter/@krisiannc

Um submarino dos Estados Unidos equipado com armas nucleares fez escala em um porto sul-coreano pela primeira vez em quatro décadas, anunciou uma autoridade da Casa Branca nesta terça-feira (18), em meio a crescentes ameaças da Coreia do Norte.

As relações entre as duas Coreias são quase inexistentes. O líder norte-coreano Kim Jong-un incentivou o desenvolvimento do arsenal em seu país, incluindo armas nucleares táticas.

Seul e Washington intensificaram a cooperação em Defesa por meio de exercícios militares conjuntos.

Nesta terça-feira, realizaram a primeira reunião do Grupo Consultivo Nuclear (NCG), em Seul, com o objetivo de melhorar a coordenação nuclear entre os dois países aliados e reforçar a prontidão militar contra a Coreia do Norte.

"Enquanto falamos, um submarino nuclear dos EUA está chegando a Busan hoje, a primeira visita de um submarino nuclear americano em décadas", disse Kurt Campbell, coordenador do Indo-Pacífico da Casa Branca, após a reunião.

A última vez que Washington enviou um de seus submarinos nucleares à Coreia do Sul foi em 1981.

Em abril, o governo dos Estados Unidos anunciou que enviaria um submarino capaz de lançar mísseis balísticos com ogivas nucleares na península coreana, mas não especificaram a data. O anúncio coincidiu com uma visita oficial do presidente sul-coreano Yoon Suk Yeol aos Estados Unidos.

"A parte americana mostrou sua firme determinação de que, caso a Coreia do Norte ataque a Coreia do Sul com armas nucleares, será recebida com contramedidas imediatas, esmagadoras e decisivas, que levarão à queda de seu regime", disse à imprensa Kim Tae-hyo, conselheiro de Segurança Nacional sul-coreano, que copresidiu a reunião do NCG com Campbell.

Kim Yo-jong, a poderosa irmã de Kim Jong-un, disse na segunda-feira que a presença do submarino apenas "afastará mais" Pyongyang de qualquer negociação.

Segundo ela, a Coreia do Norte está "pronta para enfrentar com firmeza qualquer ato de violação de sua soberania".

Fósseis de dez hipopótamos anões são encontrados na Grécia

Últimas