Internacional Suprema Corte do Irã mantém duas sentenças de morte a participantes de protestos

Suprema Corte do Irã mantém duas sentenças de morte a participantes de protestos

Além das sentenças, tribunal ordenou novo julgamento para três pessoas no caso da morte de um paramilitar nas manifestações

AFP

Resumindo a Notícia

  • As manifestações no Irã eclodiram depois da morte da jovem curda Mahsa Amini
  • Ela foi assassinada após ser detida pela polícia da moralidade por violar o código de vestimenta
  • Autoridades dizem que muitos membros das forças de segurança foram mortas nos protestos
  • Treze pessoas foram condenadas à morte em conexão com os atos
Protestos nos Estados Unidos pela liberdade dos manifestantes no Irã

Protestos nos Estados Unidos pela liberdade dos manifestantes no Irã

Stefani Reynolds / AFP

O principal tribunal do Irã confirmou nesta terça-feira (3) as sentenças de morte de duas pessoas e ordenou um novo julgamento para outras três no caso da morte de um paramilitar durante a onda de protestos em todo o país.

As manifestações no Irã eclodiram após a morte em 16 de setembro da jovem curda Mahsa Amini, de 22 anos, assassinada após ser detida pela polícia da moralidade por violar o rígido código de vestimenta da República Islâmica, que inclui exigir que as mulheres usem o véu em público.

As autoridades dizem que centenas de pessoas, incluindo membros das forças de segurança, foram mortas no que chamam de "distúrbios" e milhares de pessoas foram detidas.

Treze pessoas foram condenadas à morte em conexão com os protestos: duas foram executadas, quatro foram confirmadas pela Suprema Corte e seis aguardam novo julgamento.

Últimas