Internacional Total de mortos em enchentes na Alemanha e Bélgica passa de 125

Total de mortos em enchentes na Alemanha e Bélgica passa de 125

Governo alemão confirmou 106 mortes em regiões afetadas pela chuva no oeste do país; Bélgica já registrou 20 vítimas fatais

  • Internacional | Do R7. com EFE

Enxurrada arrastou carro para dentro de cemitério em Bad Neuenahr-Ahrweiler, na Alemanha

Enxurrada arrastou carro para dentro de cemitério em Bad Neuenahr-Ahrweiler, na Alemanha

Friedemann Vogel / EFE - EPA - 16.7.2021

Pelo menos 106 pessoas morreram nas enchentes causadas pelas chuvas devastadoras no oeste da Alemanha, de acordo com uma nova contagem oficial feita pelas autoridades nas regiões afetadas. Outras 20 vítimas fatais das enchentes foram confirmadas na Bélgica, levando o total nos dois países a 126 mortes.

As autoridades do estado alemão da Renânia-Palatinado aumentaram o número total provisório de 10 para 60 vítimas em comparação com a contagem anterior e o Ministério do Interior do estado da Renânia do Norte-Vestfália havia corrigido anteriormente para cima, colocando o número de mortos em 43.

A polícia teme que o número continue aumentando nas próximas horas, uma vez que existem várias centenas de pessoas desaparecidas, embora se suspeite que em muitos casos seja porque a queda do serviço de telefonia móvel os impediu de se comunicar.

O primeiro-ministro da Renânia do Norte-Vestfália, Armin Laschet, confirmou a previsão fatal em entrevista coletiva, acrescentando que as enchentes estão atingindo "proporções históricas".

Os dados das autoridades daquele estado federado, que tem cerca de 18 milhões de habitantes e é o mais populoso da Alemanha, indicam que as cheias inundaram um total de 25 municípios ou distritos.

Acrescentaram também que o principal problema não é o Reno ou outros grandes rios da região, mas seus muitos afluentes, incapazes de absorver os fluxos de água recebidos pelas fortes chuvas dos últimos dias.

"Precisamos tornar a Renânia do Norte-Vestefália mais preparada para responder à crise climática", disse Laschet, candidato conservador à sucessão da chanceler Angela Merkel.

"Devemos caminhar para a neutralidade climática", enfatizou o líder regional, apontando a ligação entre a catástrofe, a crise climática e as recentes iniciativas alemãs e europeias para neutralizar suas consequências.

Catástrofe na Bélgica

As chuvas torrenciais na Bélgica já deixaram 20 mortos e outros 20 desaparecidos, além de milhares de pessoas afetadas e enormes danos materiais no sul do país, que serão quantificados nos próximos dias, segundo o balanço oficial mais recente divulgado pelas autoridades locais.

A ministra do Interior, Annelies Vanlinden, informou que nove dos mortos ainda não foram identificados e que a busca pelos desaparecidos "continua sem descanso".

As cheias provocadas pelas fortes chuvas, que começaram na última quarta-feira e têm diminuído ao longo do dia de hoje, obrigaram também à evacuação de "milhares de pessoas" e "muitas mais" sofreram danos materiais que só poderão ser quantificados nos próximos dias, segundo a ministra.

O primeiro-ministro do país, Alexander De Croo, anunciou que foi declarado no país um dia de luto nacional e que as comemorações do feriado nacional belga, que será celebrado no próximo dia 21, serão reduzidas.

O chefe do governo nacional, inclusive, admitiu que as inundações "podem ter sido as mais catastróficas" já vistas na Bélgica.

Últimas