Tribunal do Líbano determina prisão de diretor do porto de Beirute

O acusado cumpre prisão domiciliar devido à suposta responsabilidade na explosão das 2,750 mil toneladas de nitrato de amônio mal armazenadas

Vista aérea do porto de Beirute destruído após megaexplosão

Vista aérea do porto de Beirute destruído após megaexplosão

STR/EFE/08-08-20

Um tribunal do Líbano emitiu nesta terça-feira (18) um mandado de apreensão contra o diretor-geral do porto de Beirute, Hassan Koraytem, após interrogá-lo durante quatro horas, duas semanas após a megaexplosão que deixou pelo menos 180 mortos e mais de 6 mil feridos.

O juiz libanês Fadi Sawan, encarregado da investigação sobre a explosão, foi quem emitiu a ordem contra Koraytem, que estava em prisão domiciliar, segundo informou a "Agência Nacional de Notícias" libanesa (ANN).

Leia mais: Líbano prorroga por 1 mês estado de emergência em Beirute

Koraytem, junto ao diretor-geral da Alfândega do Líbano, Badri Daher, cumpria prisão domiciliar devido à suposta responsabilidade na explosão das 2,750 mil toneladas de nitrato de amônio armazenadas por seis anos sem a devida proteção no porto de Beirute.

A previsão é que uma equipe do FBI chegue à capital libanesa ainda nesta semana para participar da investigação sobre a explosão.