Internacional Trump critica juiz designado para caso de compra de silêncio: 'Me odeia'

Trump critica juiz designado para caso de compra de silêncio: 'Me odeia'

Ex-presidente dos EUA é acusado de tentar abafar suposta relação com a atriz e diretora de filmes adultos Stormy Daniels

Agência EFE
Resumindo a Notícia
  • Ex-presidente Donald Trump criticou o juiz designado para o caso de compra de silêncio.

  • Empresário disse que o juiz Juan Manuel Marchán o odeia.

  • Trump é investigado pela suposta compra de silêncio de Daniels, com quem teria tido um caso.

  • Ex-mandatário deve se apresentar à Justiça na próxima terça-feira.

Donald Trump deve se apresentar à Justiça na próxima terça-feira

Donald Trump deve se apresentar à Justiça na próxima terça-feira

Saul Loeb/AFP - 10.1.2020

O ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump criticou nesta sexta-feira (31) o juiz encarregado do caso contra ele, horas depois da divulgação do indiciamento, garantindo que o magistrado em questão o odeia e que, na realidade, foi escolhido pelos promotores.

Em um post na Truth Social, Trump voltou a insistir que é vítima de uma caça às bruxas, que mais uma vez se manifestou na escolha do juiz Juan Manuel Marchán.

"O juiz 'designado' para o meu caso de caça às bruxas [...] ME ODEIA", escreveu Trump, lembrando que um ex-presidente do país nunca havia sido indiciado criminalmente anteriormente.

"Ele foi escolhido pelo [procurador de Manhattan Alvin] Bragg e pelos promotores, e é a mesma pessoa que levou meu ex-diretor financeiro, Allen Weisselberg, a fazer um acordo judicial [e ir] para a prisão", acrescentou o ex-presidente.

Além disso, segundo Trump, Marchán "intimidou Allen, algo que um juiz não pode fazer".

Allen Weisselberg foi condenado no último mês de janeiro a cinco meses de prisão pela Suprema Corte do estado de Nova York, uma pena leve em decorrência do acordo com a procuradoria.

Esses cinco meses de prisão no presídio de Rikers Island – conhecido pelas difíceis condições – podem ser reduzidos a apenas cem dias de cumprimento efetivo se Weisselberg, de 75 anos, demonstrar boa conduta.

Até agora, Trump não esclareceu se pretende estar por conta própria no tribunal onde serão lidas as acusações, embora uma advogada do ex-mandatário, Suzan R. Nechels, tenha garantido que o ex-presidente comparecerá na próxima terça-feira (4) e alguns dos apoiadores, como a congressista Marjorie Taylor Green, já anunciaram presença em Nova York para apoiá-lo.

As invectivas de Trump contra Bragg têm sido constantes, chamando-o de "racista" e acusando-o de ser uma ferramenta do financista Georges Soros e de odiar os EUA.

Últimas