Internacional Turquia dirá não à entrada de Finlândia e Suécia na Otan

Turquia dirá não à entrada de Finlândia e Suécia na Otan

Recep Tayyip Erdogan é contra a adesão dos dois países, que desejam participar da aliança após a invasão russa da Ucrânia

  • Internacional | Do R7, com informações da AFP

Recep Tayyip Erdogan acredita que os países escandinavos abriguem terroristas

Recep Tayyip Erdogan acredita que os países escandinavos abriguem terroristas

Kenzo Tribouillard/AFP - 24.03.2022

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, disse nesta segunda-feira (16) que o país votará contra a entrada da Finlândia e da Suécia na Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte). As nações, próximas geograficamente à Rússia, desejam uma adesão rápida após a invasão russa da Ucrânia. 

"Não diremos 'sim' aos países que aplicam sanções à Turquia para a organização de segurança Otan", declarou Erdogan à imprensa. 

Para que um novo país seja aceito na Otan, é preciso que os 30 Estados participantes da aliança militar aprovem sua candidatura. Dessa forma, a posição positiva da Turquia é determinante para que Finlândia e Suécia consigam entrar no grupo de defesa internacional.

De acordo com autoridades turcas, tanto finlandeses quanto suecos abrigam terroristas em seus países – trata-se de uma referência aos curdos do PKK, vistos oficialmente como extremistas também pela União Europeia e pelos Estados Unidos.

Americanos divulgaram na última sexta-feira (13) a informação de que vão buscar entender o posicionamento da Turquia para o provável veto à Suécia e à Finlândia. 

Do lado russo, o presidente Vladimir Putin afirmou que o fim da neutralidade militar da Finlândia seria um "erro", em uma conversa por telefone com o colega finlandês Sauli Niinistö.

"Vladimir Putin destacou que o fim da política tradicional de neutralidade militar seria um erro, pois não há nenhuma ameaça à segurança da Finlândia", afirmou um comunicado do Kremlin divulgado no último sábado (14).

Últimas