Rússia x Ucrânia

Internacional Ucrânia levanta hipótese de 'ataque terrorista' contra gasodutos europeus Nord Stream

Ucrânia levanta hipótese de 'ataque terrorista' contra gasodutos europeus Nord Stream

O país ainda afirmou que os vazamentos de gás teriam sido planejados por Moscou em um ato contra a União Europeia

AFP

Resumindo a Notícia

  • Vazamentos em Nord Stream provavelmente foram causados por 'ataque terrorista', diz a Ucrânia
  • O país ainda afirmou que a ocorrência teria sido planejada por Moscou contra a União Europeia
  • Assessor ucraniano acusou a Rússia de tentar 'desestabilizar a situação econômica na Europa'
  • Explosões submarinas também foram registradas antes que os vazamentos fossem detectados
Vazamentos nos gasodutos Nord Stream causaram bolhas no mar Báltico

Vazamentos nos gasodutos Nord Stream causaram bolhas no mar Báltico

Handout/Danish Defence/AFP - 27.9.2022

A Ucrânia declarou nesta terça-feira (27) que os vazamentos nos gasodutos Nord Stream, que transportam gás russo para a Europa, provavelmente foram causados por um "ataque terrorista". O país afirmou ainda que a ocorrência teria sido planejada por Moscou contra a União Europeia.

"O vazamento de gás em grande escala no Nord Stream 1 não é nada mais do que um ataque terrorista planejado pela Rússia e um ato de agressão contra a União Europeia", disse o assessor presidencial ucraniano, Mikhailo Podoliak, no Twitter.

Podoliak acusou a Rússia de tentar "desestabilizar a situação econômica na Europa e causar pânico antes do inverno".

As autoridades escandinavas informaram na terça-feira que foram identificados dois vazamentos no gasoduto Nord Stream 1 — um no Mar Báltico, na zona econômica da Dinamarca, e o outro na Suécia, horas após ter sido relatada uma queda de pressão no traçado Nord Stream 2.

Ambos os dutos estão fora de serviço, mas ainda cheios de gás, o que explica os vazamentos.

Enquanto isso, explosões submarinas foram registradas antes que os vazamentos fossem detectados, de acordo com um especialista em sismologia sueco, que os atribuiu, provavelmente, a detonações.

A Rússia disse nesta terça-feira que estava "extremamente preocupada" com os vazamentos detectados e acrescentou que não descarta "nenhuma hipótese", incluindo sabotagem.

A primeira-ministra dinamarquesa, Mette Frederiksen, afirmou que é "difícil imaginar que seja um acidente", acrescentando também que não se pode descartar um ato de sabotagem.

O Nord Stream, o consórcio que opera o gasoduto, destacou que até o momento não é possível observar nem avaliar os danos, mas admitiu o caráter excepcional da situação.

Últimas