Rússia x Ucrânia

Internacional Ucrânia não está disposta a negociar status de Crimeia e Donbass, diz presidente turco

Ucrânia não está disposta a negociar status de Crimeia e Donbass, diz presidente turco

Segundo Recep Tayyip Erdogan, por outro lado, conversas entre ucranianos e russos têm avançado em outras questões

Agência EFE
Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, em entrevista coletiva na cúpula da Otan

Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, em entrevista coletiva na cúpula da Otan

Kenzo Tribouillard/AFP - 24.3.2022

A Ucrânia está chegando a acordos nas negociações com a Rússia em vários aspectos, desde sua relação com a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), o desarmamento e o status oficial do idioma russo, mas tem se mostrado menos disposta a negociar a situação da Crimeia e do Donbass, segundo disse nesta quinta-feira (24) o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan.

"No processo que continua em Belarus, pode-se dizer que há acordos sobre algumas questões, seja a Otan, seja o desarmamento, seja a segurança coletiva e a oficialidade do idioma russo. Mas fora disso está a questão do status da Crimeia e do Donbass, e isso, claro, para a Ucrânia, pode não parecer correto", afirmou Erdogan, em referência a uma possível renúncia de Kiev a esses territórios.

A península ucraniana da Crimeia foi anexada em 2014 pela Rússia, e Moscou reconheceu as duas autoproclamadas repúblicas do Donbass, Donetsk e Lugansk, como soberanas antes da invasão da Ucrânia, em 24 de fevereiro.

Erdogan fez essas declarações em um encontro com a imprensa turca, transmitido ao vivo pela emissora NTV, depois de ter participado hoje da cúpula extraordinária da Otan em Bruxelas.

O presidente turco acrescentou que lhe parece "próprio de um líder prudente" a proposta de seu homólogo ucraniano, Volodmir Zelenski, feita na segunda-feira passada, de submeter os acordos negociados com a Rússia a um referendo popular.

Erdogan também reiterou que a Turquia continua firme em sua posição de não reconhecer a anexação da Crimeia.

O presidente turco também enfatizou que continua trabalhando para fazer a mediação entre Zelenski e seu homólogo russo, Vladimir Putin, e que estaria disposto a sediar um encontro entre os dois "em Ancara, Istambul ou outra província" da Turquia.

Além disso, acrescentou que, desde o início da guerra, "cerca de 60 mil ucranianos chegaram à Turquia" e que recebem ajuda de agências oficiais de ajuda humanitária turcas.

Últimas