Internacional Ucrânia 'não pode aceitar nenhum ultimato da Rússia', diz Zelenski

Ucrânia 'não pode aceitar nenhum ultimato da Rússia', diz Zelenski

Presidente afirma que exigências russas só serão aceitas quando não houver mais nenhum cidadão ucraniano no país

AFP
Presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, durante discurso ao povo ucraniano

Presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, durante discurso ao povo ucraniano

STR/Ukrainian Presidential Press Service/AFP - 21.3.2022

A Ucrânia "não pode aceitar nenhum ultimato da Rússia", declarou nesta segunda-feira (21) o presidente ucraniano Volodmir Zelenski em entrevista a um veículo de comunicação estatal regional.

"A Ucrânia não pode aceitar nenhum ultimato da Rússia. Primeiro terão que destruir a todos nós, só então seus ultimatos serão respeitados", disse ele ao Suspilne, site de notícias que publicou o vídeo desta entrevista.

"'Nós [os russos] enviamos um ultimato, lá estarão todos os pontos. Se cumprirem, pararemos a guerra': isso não é o certo, isso não dará resultados", acrescentou, afirmando que "o povo está unido".

A Rússia quer que as cidades de Kharkiv (nordeste), Mariupol (sudeste) e a capital Kiev se rendam, destacou o chefe do Estado ucraniano. Mas "nem os habitantes de Kharkiv, nem os de Mariupol, nem os de Kiev, nem eu, o presidente, podemos fazer isso", disse ele.

"O que você quer? Destrua-nos. Por isso respondo: não podemos respeitar este ultimato a menos que não estejamos mais aqui", concluiu.

O presidente ucraniano deve falar por vídeo ao Parlamento italiano na terça-feira (22), como já fez com Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Alemanha e Israel. Na quarta-feira (23), ele falará perante o Parlamento francês.

Últimas