Internacional Vazamentos do Telegram geram crise em Porto Rico. Entenda

Vazamentos do Telegram geram crise em Porto Rico. Entenda

Governador Ricardo Rosselló teve 900 páginas de conversas vazadas, em que ofendia cantores, membros da oposição e insultava mortos em furacão

Rosselló se tornou alvo de protestos populares

Rosselló se tornou alvo de protestos populares

Carlos Barria/ Reuters - 30.9.2017

Porto Rico vive uma séria crise política depois de vazamentos de mensagem no Telegram. O governador da ilha, Ricardo Rosselló, teve 900 páginas de conversas publicadas pelo Centro de Jornalismo Investigativo de Porto Rico.

Nas mensagens trocadas com assessores e colegas próximos, Rosselló atacou o cantor Ricky Martin, membros da oposição e jornalistas em tom sexista e homofóbico. Não demorou muito para as ruas de San Juan serem tomadas por manifestantes que pedem a renúncia do governador.

Segundo a CNN, os manifestantes dizem que se sentem desrespeitados e enganados, que as conversas indicam corrupção e que Rosselló quebrou a confiança com a população.

As mensagens

Um dos alvos das mensagens era a ex-presidente do Conselho de Nova York, Melissa Mark Viverito. Na conversa, Rosselló a chama de “vadia”.

Na época, ele disse estar chateado que Mark-Viverito tinha criticado o presidente do Comitê Nacional Democrata, Tom Perez. “Nosso povo devia defender Tom e bater nessa vadia”, escreveu Rosselló. O governador se desculpou depois.

Outro alvo constante de ataques é a prefeita de San Juan, Yulín Cruz. O fiscal chefe de Porto Rico, Christian Sobrino Vega, que representava Rosselló no conselho federal, disse estar “salivando de vontade de atirar nela”. O governador então respondeu que o fiscal “estaria fazendo um grande favor”.

Rosselló também disse que ela devia estar “sem tomar os remédios” e a xingou depois que ela decidiu concorrer contra ele nas eleições do ano que vem.

Vega também participou de outras duas polêmicas conversas divulgadas. Em uma delas, ele questiona a verba dos médicos forenses e faz uma piada com o número de mortos depois do furacão Maria, em setembro de 2017, que assolou o país.

“Agora que estamos neste assunto, não temos alguns cadáveres para alimentar os nossos corvos?” escreveu, no que foi interpretado como uma referência aos críticos do governo.

Depois, ele também comentou sobre o cantor porto-riquenho Ricky Martin e fez comentários homofóbicos. “Nada diz opressão patriarcal como o Ricky Martin”, escreveu.

“Ricky Martin é um machista tão chauvinista que ele dorme com homens porque mulheres não se comparam. Puro machismo”, continuou.

Martin e outros artistas pediram a renúncia de Rosselló e participaram das manifestações.

Depois do vazamento das conversas, Sobrino Veja e o Secretário de Estado, Luis Rivera Marin, renunciaram aos cargos. Outras duas funcionárias, a secretária de educação Julia Keleher e a diretora executiva da administração de planos de saúde Angela Avila Marrero, foram presas pelo FBI por corrupção.

Marco Bello/ Reuters - 22.7.2019

Pedidos de renúncia

Apesar da renúncia de dois membros das conversas em grupo e da prisão das funcionárias, Rosselló disse que não vai deixar o cargo. 

Ele garantiu que não vai concorrer à reeleição em 2020 e que deixaria o cargo de liderança do Novo Partido Progressista, mas não vai ceder aos pedidos populares e renunciar ao governo.

“Eu estou ciente da insatisfação e desconforto que vocês sentem”, ele disse em uma breve transmissão ao vivo no Facebook. “Eu ouvi vocês e continuo ouvindo. Eu cometi vários erros e eu pedi perdão”.

“Todo o meu tempo deve ser dedicado as responsabilidades que eu tenho como governador”, completou.

Pedido de desculpas na televisão

Rosselló também se desculpou durante uma entrevista que concedeu ao canal norte-americano Fox News.

“Eu usei palavras pelas quais me desculpei, mas eu também tomei medidas para ajudar os setores mais populares da nossa sociedade”, disse.

“Eu peço desculpas por todas as coisas que eu disse”, terminou. Ele também disse que o foco agora é garantir que as medidas que ele promulgou vão adiante.

Protestos contra o governados

Milhares de pessoas foram às ruas de San Juan nesta segunda-feira (22), incluindo o cantor Ricky Martin, pedindo a renúncia de Rosselló. Os protestos acontecem há uma semana.

Além dos protestos, uma greve geral também foi marcada. Muitos proprietários de negócios decidiram fechar lojas e escritórios nesta segunda-feira, noticiou a mídia local.