Veneza é atingida por nova cheia e nível da água chega a 1,6 m

Segue o alerta pelos fortes ventos que estão levando a água para dentro de toda a cidade. Famosa praça central de São Marco está fechada

Veneza segue sofrendo com cheia histórica

Veneza segue sofrendo com cheia histórica

REUTERS/Flavio Lo Scalzo/15.11.2019

A cidade italiana de Veneza foi atingida nesta sexta-feira (15) por uma nova enchente com o nível da água a 1,6 m. A inundação ocorre dois dias após uma cheia histórica que inundou quase toda a cidade.

Relatos nas redes sociais e informações da agência de notícias Reuters, a famosa praça central de São Marco está fechada e todos os estabelecimentos na área foram invadidos pela água. O jornal italiano Corriere Della Sera informa que o vice-premiê Matteo Salvini e o governador da região do Vêneto, Luca Zaia, estão no local. 

Segue o alerta pelos fortes ventos que estão levando a água para dentro de toda a cidade. O serviço de transporte público está suspenso, e as escolas e creches estão fechadas pelo quarto dia consecutivo.

Um vídeo publicado no Instagram mostra ainda os esforços do Corpo de Bombeiros para salvar uma banca de jornal que havia sido levada pela água na área da praça de São Marco. Assista. 

Estado de emergência

Na quinta-feira (14), o Conselho de Ministros da Itália decretou estado de emergência em Veneza e aprovou um montante de 20 milhões de euros (R$ 92 milhões), como primeira ajuda. Cada morador afetado receberá 5 mil euros (R$ 23 mil), e empresários e comerciantes 20 mil euros (R$ 92 mil).

Outra grande preocupação é a situação da Basília de San Marcos, que, por estar em um dos pontos mais baixos da cidade, vem sendo fortemente atingida pelas inundações. Na última terça-feira, a cripta, onde estão os sarcófagos dos patriarcas, além de mármores e mosaicos históricos, ficaram debaixo da água.