Vítima contou detalhes de como ex-jogador de rúgbi queimou família

Mesmo com 97% do corpo queimado, Hannah Clarke, ex-mulher do assassino, conseguiu relatar como tudo aconteceu à polícia e aos socorristas

Ex-jogador de rúgbi queimou família

Hannah Clarke foi assassinada pelo ex-marido, Rowan Baxter

Hannah Clarke foi assassinada pelo ex-marido, Rowan Baxter

Reprodução

Em entrevista emocionada à TV australiana, os pais de Hannah Clarke, Suzanne e Lloyd Clarke, deram detalhes de como Rowan Baxter conseguiu chegar perto da filha. O ex-jogador de rúgbi matou a ex-esposa e os três filhos queimados, na última quarta-feira (19), na cidade de Brisbane, na Austrália. Ele cometeu suicídio logo em seguida.

Hannah sabia desde o momento em que se separou que sua vida estava em risco. De acordo com Suzanne, ela já pensava o que poderia acontecer com as crianças caso ela faltasse. "O que aconteceria com meus filhos se ele me mata? Com quem eles ficariam?", contou a mãe da vítima, em uma entrevista a um dos mais populares programas da TV australiana, o Current Affair.

LEIA MAIS: Ex-jogador de rúgbi tinha histórico de violência contra esposa e filhos

Segundo Suzanne, a filha estava cogitando a possibilidade de escrever um testamento destinando as crianças para serem acolhidas pelos pais. A mãe relembra a conversa com a filha: "Não quero que meus filhos fiquem com a família dele [Baxter]", disse Hannah à mãe.

A preocupação dos país de Hannah começou em novembro de 2019, quando a filha decidiu se separar de Baxter. Os pais e uma amiga afirmam que o treinador fitness era uma pessoa extremamente controladora, e a manipulava emocionalmente, sexualmente e financeiramente.

Problemas desde o início do casamento

De acordo com Suzanne, desde que eles se casaram, eles perceberam que algo não ia bem. Baxter tentou isolar Hannah de parentes e amigos. "Ele sempre estava controlando, arruinou o relacionamento dela com todo mundo, até tentou afastá-la de nós", disse a mãe.

LLoyd contou que a filha foi muito corajosa e tentou salvar os filhos do fogo e do pai deles. Foi ela quem contou, em detalhes, como tudo aconteceu, mesmo com queimaduras em 97% do corpo. Hannah não aguentou e morreu no hospital em decorrência dos ferimentos.

Naquele dia trágico, Baxter estava, provavelmente, monitorando Hannah perto da casa onde ela vivia com os filhos e seus pais. Ainda pela manhã, por volta das 08h, ela estava de saída para levá-los para escola. Todos os filhos estavam no banco de traseiro do carro.

Vizinho tentou apagar as chamas

As duas meninas conseguiram colocar o cinto de segurança, mas o menino, mais novo, precisava de ajuda. Neste momento, em que ela foi ajudá-lo, Baxter apareceu de surpresa e colocou uma faca no pescoço da ex-mulher. Colocou ela no banco do motorista, se sentou no passageiro e mandou ela dirigir.

Ainda perto da casa, duas esquinas depois, Hannah avistou o vizinho Michael Zemek lavando o carro e gritou "ele jogou gasolina em mim". Neste momento, Baxter riscou o fósforo e queimou as crianças vivas. Hannah saiu do carro em chamas.

Zemek fez o que pode parar apagar o fogo nas roupas e na pele de Hannah, e devido às queimaduras nas mãos e no rosto, ainda se recupera no hospital. Ele tentou retirar as crianças de dentro do carro, mas não conseguiu abrir as portas. Baxter impediu o socorro.

Mãe dedicada

Hannah contou tudo o que pôde aos socorristas. Ela queria se certificar que não restasse nenhuma dúvida sobre o crime. "Ela lutou até o fim para garantir que, se ele sobrevivesse, fosse punido pela morte de seus bebês. Ela foi muito corajosa", disse o pai de Hannah.

"Ela amava os filhos, não havia nada que ela não tivesse feito por eles. Mesmo no final, ela lutou para salvá-los" disse Suzanne. 

Durante o Ano Novo, Hannah publicou nas redes sociais uma mensagem que indicava o que parentes e amigos contaram. Hannah estava se desvencilhando de um longo relacionamento abusivo e escreveu "nunca mais vou deixar ninguém me maltratar novamente" e esperava "que suas filhas crescessem como mulheres fortes".