Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Presidente Vladimir Putin se reúne com Dilma Rousseff na Rússia

Encontro acontece pouco antes da segunda cúpula Rússia-África, marcado para agosto, em Joanesburgo, na África do Sul

Internacional|Do R7, com informações da Reuters e AFP


Vladimir Putin se reúne com Dilma Rousseff em Strelna, nos arredores de São Petesburgo, na Rússia
Vladimir Putin se reúne com Dilma Rousseff em Strelna, nos arredores de São Petesburgo, na Rússia

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, participou de uma reunião com Dilma Rousseff, presidente do Novo Banco de Desenvolvimento (NDB), o banco do Brics, nesta quarta-feira (26). A reunião ocorreu em Strelna, nos arredores de São Petesburgo. Além do líder russo, Dilma vai se reunir com o presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa.

Dilma assumiu o NDB em março deste ano, com a missão de ampliar o banco e a inserção internacional na instituição. Durante o encontro, Putin afirmou que os pagamentos usando as moedas nacionais no comércio entre os países do bloco estão se expandindo, e o NDB pode desempenhar um papel nessa questão, embora o dólar seja hoje usado como "instrumento de luta política".

Leia também

O presidente disse, ainda, que os países do Brics não fazem amigos contra alguém, mas trabalham em prol dos interesses uns dos outros. "Isso também se aplica à esfera financeira”, acrescentou,

Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Publicidade

Compartilhe esta notícia no Telegram

O encontro acontece pouco antes da segunda cúpula Rússia-África, marcado para os dias 22, 23 e 24 de agosto, em Joanesburgo, na África do Sul. Putin decidiu não participar do evento, uma vez que tem uma ordem de prisão pelo TPI (Tribunal Penal Internacional), da qual á Africa do Sul é membro, por supostos crimes de guerra. Ele declarou não querer criar problemas para o país, que tecnicamente poderia prendê-lo.

Atualmente, o principal desafio de Dilma em relação à Rússia é administrar a situação da Rússia, que enfrenta constantes sanções internacionais e uma forte pressão diplomática e financeira por parte de americanos e europeus. Moscou, porém, garante que tem conseguido se manter graças às relações diplomáticas com a Ásia e os países do Brics.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.