Rússia x Ucrânia

Internacional Zelenski pede à América Latina que dissemine 'a verdade' sobre invasão russa

Zelenski pede à América Latina que dissemine 'a verdade' sobre invasão russa

Presidente da Ucrânia disse que o país não precisa da desculpa de russos, e que ucranianos nunca perdoarão a atual guerra

Agência EFE

Resumindo a Notícia

  • Presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, conversou com universitários do Chile
  • Em discurso, Zelenski pediu à América Latina que divulgue a 'verdade' sobre a guerra
  • Presidente afirmou que ucranianos não querem desculpas russas e não perdoarão vizinhos
Presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, em conversa com alunos de universidade chilena

Presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, em conversa com alunos de universidade chilena

Martin Bernetti/AFP - 17.8.2022

O presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, pediu nesta quarta-feira (17) para a América Latina "disseminar a verdade" sobre a invasão russa do território ucraniano, em videoconferência com a Pontifícia Universidade Católica do Chile, em Santiago.

"Peço que disseminem a verdade sobre esta guerra em seu país e em sua região. Temos que confrontar a propaganda russa, exigir a responsabilidade completa para os assassinos e criminosos de guerra. Devem ser condenados por uma Justiça competente. É preciso apoiar as sanções contra a Rússia para que pague o preço máximo pela agressão", afirmou o mandatário ucraniano em Kiev.

"Quando falamos da guerra da Rússia contra a Ucrânia, falamos de oito anos mais 175 dias. Quando falamos das vítimas desta guerra, não começamos em fevereiro de 2022, mas em 2014, quando começaram a matar ucranianos por serem ucranianos", acrescentou Zelenski diante de uma audiência de dezenas de acadêmicos e veículos de comunicação.

Questionado sobre o futuro do país, o chefe de Estado afirmou que a Ucrânia "nunca será a mesma" e que não busca "desculpas russas".

"Queremos que a vida retorne. Nunca será o mesmo, nunca vamos perdoar a Rússia por isto. Não queremos suas desculpas, não precisamos delas, não queremos viver perto deles. Mas assim é a vida, são nossos vizinhos e não podemos mudar de casa. Este também será um desafio histórico para as gerações russas futuras, pois terão que pedir desculpas em primeiro lugar a seus filhos e netos pelo que fizeram", declarou.

Últimas