Minas Gerais Antes de morrer, cantora teria ido à polícia para denunciar namorado

Antes de morrer, cantora teria ido à polícia para denunciar namorado

Influenciadora Lívvia Bicalho foi até uma base da PM para denunciar agressões, mas desistiu de registrar ocorrência por ser 'pessoa pública'
 

  • Minas Gerais | Marcos Guimarães, da Record TV Minas

A cantora e influenciadora digital Lívvia Bicalho, encontrada morta ao lado do namorado em João Monlevade (MG), teria procurado a polícia para denunciar o companheiro horas antes de morrer.

Segundo informações repassadas por parentes do namorado da cantora, o casal teria discutido cerca de duas horas antes do fato. Lívvia saiu de casa e foi até uma base da Polícia Militar para denunciar agressões do namorado, mas desistiu de registrar ocorrência por ser uma pessoa pública  e ‘não queria se expor’.

Veja: Corpo da cantora e influenciadora Lívvia Bicalho é velado em Minas

Cantora foi encontrada morta ao lado do namorado

Cantora foi encontrada morta ao lado do namorado

Reprodução / Record TV

Os policiais teriam orientado Lívvia a não voltar para casa após a discussão e até foram ao apartamento onde o casal morava para ser como estava a situação no local, mas os dois teriam dito aos agentes que estava tudo bem.

A reportagem procurou a Polícia Civil, que se comprometeu a se posicionar sobre as novas informações em breve. A Polícia Militar ainda não respondeu à demanda.

Cantora morta

Lívvia Bicalho, de 38 anos, e seu namorado, Rafael Ribeiro Pinto, de 39 anos, foram encontrados mortos dentro do apartamento da cantora em João Monlevade, a 110 km de Belo Horizonte. Vizinhos acionaram a Polícia Militar após ouvirem gritos e dois disparos vindos do local.

O namorado da cantora estava com um revólver calibre 38 em uma das mãos. A principal hipótese da polícia é a de feminicídio seguido de suicídio. Rafael teria atirado contra a cantora depois de uma briga entre o casal e em seguida, tirado a própria vida.

Últimas