Minas Gerais Anvisa determina recolhimento de macarrão com substância ligada à morte de cães 

Anvisa determina recolhimento de macarrão com substância ligada à morte de cães 

Marca de massas comprou lotes de propilenoglicol contaminados da mesma empresa que forneceu insumo à fabricante de petiscos

  • Minas Gerais | Ana Gomes, Do R7

Marca produz e vende vários tipos de massa de estilo oriental

Marca produz e vende vários tipos de massa de estilo oriental

Reprodução/Site Kesishi

Nesta quinta-feira (22), a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) determinou o recolhimento de massas da marca Keishi, nome fantasia da empresa BBBR Indústria e Comércio de Marcarrão Ltda. Segundo o órgão, a fábrica de massas comprou lotes de propilenoglicol contaminados da Tecno Clean, com sede em Contagem, na Grande BH.

A medida da Anvisa exige a proibição da comercialização, distribuição e uso dos produtos fabricados entre 25 de julho e 24 de agosto deste ano. A marca produz e vende vários tipos de massa de estilo oriental, como udon, yakisoba, lamen, e também massas de salgados, como gyoza, que são comercializados congelados.

Ainda segundo comunicado do órgão, após fiscalização na fábrica de macarrão, ficou constatado que a Keishi comprou o insumo contaminado da empresa em Contagem e o usou na produção da linha de massas. A Tecno Clean também é a empresa que forneceu o insumo para a Bassar Pet Food, fabricante de petiscos e que é investigada pela intoxicação e morte de centenas de cães.

A reportagem entrou em contato com a Kesishi e aguarda retorno.

Cães intoxicados

O caso foi revelado pela Record TV Minas. A Polícia Civil de Minas Gerais já foi notificada sobre pelo menos 40 mortes de cães que consumiram petiscos da Bassar Pet Food em diversos estados do Brasil. Após terem ingerido o alimento, os animais apresentaram prostração, diarreia, vômito e falhas renais.

No dia 8 de setembro, a Vigilância Sanitária de Contagem realizou uma fiscalização de urgência na Tecno Clean, empresa que forneceu insumos com a substância propilenoglicol para a fabricante de petiscos. 

Após a visita dos agentes, a Anvisa pediu a todas as empresas que compraram os lotes contaminados da fábrica da Grande BH que entrassem em contato com o órgão. O alerta também era destinado a todas as marcas que produzem alimentos para humanos. 

Últimas