Minas Gerais Após mortes por intoxicação, Backer voltará a produzir em BH

Após mortes por intoxicação, Backer voltará a produzir em BH

Anúncio foi feito pela Três Lobos, responsável pela marca; em janeiro de 2020, dez pessoas morreram após contaminação

  • Minas Gerais | Ana Gomes, do R7

Caso veio à tona em janeiro de 2020

Caso veio à tona em janeiro de 2020

Reprodução/Record TV

A cervejaria Três Lobos, responsável pela Backer, anunciou na tarde desta sexta-feira (8) que foi autorizada a voltar a produzir no parque industrial em Belo Horizonte. Em janeiro de 2020, pelo menos dez pessoas morreram após intoxicação causada pela contaminação de uma das bebidas da empresa.

Segundo a instituição, o “processo de reabertura contou com o acompanhamento das autoridades e órgãos competentes e observou todos os critérios legais e técnicos”. (Confira a nota na íntegra abaixo.)

O MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) confirma que a Cervejaria Backer foi autorizada, na manhã desta sexta-feira (08), a retomar a produção e comercialização de cerveja na fábrica. Essa liberação foi concedida de forma parcial para duas adegas no parque industrial da empresa.

Em nota, a pasta informou que a empresa atendeu às exigências feitas para garantir a segurança dos produtos, referentes às condições dos tanques de fermentação e equipamentos que serão utilizados neste retorno. A cervejaria ainda substituiu em seu processo o fluido refrigerante por solução hidroalcoólica - solução que contém água e álcool.

Relembre o caso Backer

O caso Backer foi uma intoxicação em série de consumidores da cerveja Belorizontina, da Backer, que se tornou pública no primeiro fim de semana de 2020, após a divulgação de relatos em redes sociais.

Ao fim das investigações, os peritos concluíram que parte do lote da bebida estava contaminada com monoetilenoglicol e dietilenoglicol, dois anticongelantes tóxicos ao corpo humano, usados no processo de resfriamento industrial. O material teria caído na bebida durante a fabricação. Tanques da empresa, localizada na região oeste de Belo Horizonte, estavam furados.

Ao menos dez pessoas morreram em decorrência das intoxicações. Mais de 20 teriam apresentado problemas de saúde. Algumas delas tiveram sequelas motoras. Entre os sintomas mais comuns relatados pelos pacientes estão a insuficiência renal e paralisias motoras.

Confira a nota na íntegra:

A Cervejaria Três Lobos informa que obteve a aprovação para a retomada da produção de cervejas em seu parque industrial (será produzida a cerveja Capitão Senra). O processo de reabertura contou com o acompanhamento das autoridades e órgãos competentes e observou todos os critérios legais e técnicos. A liberação ocorreu hoje (dia 08/04/22). A retomada da produção será o mais breve possível e de forma gradual. Já a capacidade de produção permanece inalterada.

A autorização partiu de um conjunto de órgãos, sendo: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA; Prefeitura Municipal de Belo Horizonte; Corpo de Bombeiros MG; Secretaria Municipal de Meio Ambiente, etc.

A empresa destaca que sempre teve e mantém total interesse na apuração de toda e qualquer irregularidade relacionada à produção e, por isso, segue contribuindo efetivamente com o trabalho dos órgãos de controle e fiscalização.

A cervejaria ressalta ainda que não mede esforços para oferecer apoio às vítimas e suas famílias e a retomada da produção cervejeira será um fator decisivo para ampliar a assistência médica e financeira.

Últimas