Minas Gerais Bebê nasce no corredor da Santa Casa de BH em meio a incêndio

Bebê nasce no corredor da Santa Casa de BH em meio a incêndio

Gestante estava em consulta no hospital quando começaram as chamas; ela entrou em trabalho de parto ao descer sete andares

  • Minas Gerais | Camila Cambraia, da Record TV Minas

Enquanto bombeiros, policiais, médicos e enfermeiros corriam para socorrer os pacientes no incêndio da Santa Casa de Belo Horizonte, uma bebê nascia no corredor do hospital, na noite de segunda-feira (27). Foram momentos de susto e de emoção para a família da pequena Ana Vitória.

Bebê foi batizado de Ana Vitória

Bebê foi batizado de Ana Vitória

Reprodução / RecordTV Minas

Com a filha recém-nascida nos braços, a auxiliar administrativa Daiana Gonçalves Dias se recupera da noite intensa. A mulher, grávida de 38 semanas, deu entrada na unidade de saúde pensando que faria uma consulta de rotina, mas acabou vivendo um dos dias mais emocionantes da vida dela.

"Eu não estava nem preparada para isto", conta a mãe.

Foi tanta emoção que os pais decidiram até mudar o nome da criança. "Ela iria se chamar Ana Laura, mas agora vai ser Ana Vitória porque foi uma vitória na nossa vida", diz.

Os pais estavam na maternidade, que fica um andar acima do CTI (Centro de Terapia Intensiva), onde o incêndio ocorreu. No momento em que ficou sabendo do fogo, Warllen Charley, o pai, ficou incrédulo. "Eu imaginei que seria algum treinamento ou brincadeira. Não imaginei que seria algo sério", relata o homem.

A família desceu, pelas escadas, aproximadamente sete andares até que Daiana não aguentou mais. Ela percebeu que o bebê iria nascer. Um médico ouviu o grito da mãe e conseguiu socorrê-la até o corredor, onde fez o parto.

"O coração estava pulsando forte vendo as pessoas preocupadas. Equipes subindo e descendo para acalmar as pessoas, aí tudo aconteceu. De repente, houve uma dor mais forte. Desci as escadas e encontrei o doutor Ícaro. Parou tudo naquele momento", relembra a mãe.

"O médico colocou a Daiana na maca e disse que ia ajudar. A cabecinha da criança já estava saindo. Ele falou para ela fazer força", pontuou o pai.

O bebê nasceu às 20h31. Só então Daiane e Warlen descobriram que o médico que os atendeu não era obstetra. "Aconteceu como se ele já tivesse preparado aquele lugar. Deu tudo certo. O médico fez o que poderia e não poderia naquela hora. Só depois ele me contou que era anestesista."

O incêndio

A suspeita é que um problema no sistema de oxigênio do 10º andar tenha causado o incêndio. A Polícia Civil abriu um inquérito para investigar o caso. Segundo o hospital, duas pessoas morreram durante a evacuação do prédio, que estava com quase 950 pacientes.

Últimas