Minas Gerais Betim (MG) confirma primeira morte por Chikungunya em 2023 

Betim (MG) confirma primeira morte por Chikungunya em 2023 

Óbito ficou em investigação na Funed e foi confirmado na última quinta-feira (6); paciente tinha 88 anos

 Prefeitura reforçou que segue intensificando plano de combate ao Aedes aegypti

Prefeitura reforçou que segue intensificando plano de combate ao Aedes aegypti

Freepik

A Prefeitura de Betim, na Grande BH, informou que foi registrada a primeira morte por Chikungunya. A paciente, de 88 anos, faleceu no dia 27 de março de 2023. O óbito ficou em investigação na Funed e foi confirmado na última quinta-feira (6). A idosa foi atendida no Hospital Regional de Betim

Este é o primeiro óbito notificado no município, em decorrência das arboviroses transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. Em nota, a Prefeitura reforçou que segue intensificando ações por toda cidade como parte do plano de combate ao Aedes aegypti.

No último sábado(8), quatro Unidades Básicas de Saúde (UBSs) abriram as portas, das 8h às 17h, para atender pacientes com sintomas de dengue, chikungunya e zica. São elas: UBSs Alterosas, na regional Alterosas, Angola, na regional Norte, Guanabara, na regional PTB e Teresópolis, na regional Teresópolis. 

A iniciativa acontece desde o dia 25 de março e tem o objetivo de diminuir a alta demanda de atendimentos nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), que devem ser procuradas em casos mais graves e urgentes, e concentrar os atendimentos nas UBSs. 

Além disso, os Agentes de Combate a Endemias (ACEs) realizam visitas domiciliares de rotina para vistoriar os imóveis e orientar os moradores de toda a cidade sobre os cuidados necessários para combater as doenças provocadas pelo mosquito Aedes aegypti.

Últimas