Minas Gerais BH recebe 50 mil doses e começa a imunizar idosos em asilos 

BH recebe 50 mil doses e começa a imunizar idosos em asilos 

A capital mineira recebeu mais de 50 mil doses de vacinas da Oxford/AstraZeneca e Coronavac; confira ordem de prioridade

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli, com Célio Ribeiro*, do R7

Prefeitura de BH recebeu mais de 50 mil doses de vacinas na última semana

Prefeitura de BH recebeu mais de 50 mil doses de vacinas na última semana

Divulgação/Prefeitura BH

A Prefeitura de Belo Horizonte começa a imunizar, a partir desta segunda-feira (1º), os idosos que vivem em lares de longa permanência. A capital mineira recebeu, na última sexta-feira (29), 57,3 mil doses de vacinas da Coronavac e da Oxford/AstraZeneca.

Além dos idosos, também começam a ser vacinados, nesta semana, os profissionais que trabalham nos asilos, os profissionais de saúde trabalham na atenção primária, nos centros de saúde e Cersams (Centro de Referência em Saúde Mental, Álcool e Drogas).

Em cerca de 10 dias, BH imunizou 53.698 pessoas, todas elas profissionais de saúde que atuam em unidades de saúde da rede pública e particular. 

A informação foi confirmada nesta sexta-feira (29) pelo secretário de Saúde, Jackson Machado, durante coletiva de imprensa, realizada na prefeitura da capital. Segundo ele, além deste grupo de idosos, outros funcionários da área da Saúde também começam a ser imunizados na próxima semana.

Vacinas

Nessa nova etapa da imunização, serão utilizadas as 40.500 doses da vacina desenvolvida pela AstraZeneca/Oxford e outras 16.800 desenvolvidas pela Sinopharm com o Instituto Butantan, todas elas recebidas nesta sexta-feira. De acordo com o secretário municipal de saúde afirmou que as doses que sobrarem serão utilizadas em funcionários de hospitais da capital.

Ordem de vacinação

De acordo com o material divulgado pela Secretaria de Saúde no site da prefeitura, BH tem 18 grupos prioritários para serem imunizados. Com a vacinação dos idosos institucionalizados e funcionários dos Cersams, as próximas pessoas a serem imunizadas seriam os deficientes moradores de instituições da capital e idosos com idade igual ou superior a 75 anos que estejam acamados.

Logo depois, aparecem os idosos com 60 anos ou mais e as pessoas com comorbidades ou doenças preexistentes, como diabetes, hipertensão e cardiopatias. Os últimos grupos prioritários da lista são os caminhoneiros e os trabalhadores industriais.

Ainda segundo a prefeitura de BH, essa ordem pode ser alterada caso a reabertura das escolas seja liberada na capital. Assim, os profissionais da educação passariam na frente de outros grupos prioritários.

Confira a sequência prevista para vacinação

1 - Trabalhadores de Saúde de hospitais públicos e privados, UPA’s e SAMU (em andamento)
2 - Trabalhadores da Saúde (APS) e de Cersams
3 - Pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas
4 - Pessoas com Deficiência Institucionalizadas
5 - Demais trabalhadores de saúde
6 - Pessoas de 75 anos e mais; e acamados
7 - Pessoas de 60 e mais
8 - Pessoas com comorbidades
9 - Pessoas com deficiência permanente grave
10 -Pessoas em situação de rua
11 -Povos indígenas e quilombolas
12 -Forças de Segurança e Salvamento, funcionários do sistema de privação de liberdade e população privada de liberdade
13 -Trabalhadores de Transporte Coletivo Rodoviário de Passageiros Urbano e de Longo Curso
14 -Trabalhadores de Transporte Metroviário e Ferroviário
15 -Trabalhadores de Transporte Aéreo
16 -Trabalhadores da educação*
17 - Caminhoneiros
18 - Trabalhadores Industriais

*estagiário do R7, sob supervisão de Lucas Pavanelli

Últimas