Minas Gerais Braço direito de Fernandinho Beira-Mar é sepultado em BH

Braço direito de Fernandinho Beira-Mar é sepultado em BH

Considerado um dos maiores traficantes de Minas Gerais, Roni Peixoto foi assassinado na Grande BH, na segunda-feira (11)

  • Minas Gerais | Regiane Moreira, da RecordTV Minas

Roni Peixoto era um dos traficantes mais conhecidos do estado

Roni Peixoto era um dos traficantes mais conhecidos do estado

Reprodução / RecordTV Minas

O corpo de Roni Peixoto, um dos traficantes mais conhecidos de Minas Gerais, foi sepultado nesta terça-feira (12), no Cemitério Bosque da Esperança, localizado no bairro Jaqueline, em Belo Horizonte. 

O ex-braço direito do traficante carioca Fernandinho Beira-Mar também era apontado como o responsável por introduzir o crack na capital mineira. Ele foi morto a tiros, no começo da manhã de segunda-feira (11), em Santa Luzia, na região metropolitana. Durante o velório, familiares e amigos não quiseram comentar a morte.

Peixoto foi detido pela primeira vez em 1997, em um sítio na cidade de Betim, também na Grande BH. Ele ficou 24 anos e seis meses preso em regime fechado.

Em 2019, com um alvará expedido pela Vara de Execuções Penais de Ribeirão das Neves, ganhou o direito de terminar de cumprir a pena em regime semiaberto. Desde então, passou a morar em Santa Luzia, onde foi executado.

O crime aconteceu na porta da casa do ex-traficante, nas primeiras horas do dia. O carro dirigido por ele ficou atravessado na rua. Peixoto foi surpreendido por atiradores armados quando chegava em casa.

Enterro acontece no Cemitério Bosque da Esperança

Enterro acontece no Cemitério Bosque da Esperança

Regiane Moreira / RecordTV Minas

Atualmente, Roni Peixoto trabalhava como auxiliar de serviços gerais em um cemitério de Santa Luzia e também como motorista de aplicativo, para completar a renda. Ele havia se convertido e estaria frequentando uma igreja evangélica. Nos últimos três anos, segundo a PM, Roni não se envolveu em ocorrências policiais.

A motivação e a autoria do crime estão sendo investigadas pela delegacia especializada em homicídios de Santa Luzia. Por meio de nota, a Polícia Civil informou que não descarta nenhuma linha investigativa. Até o momento, ninguém foi preso.

Últimas