Minas Gerais Caça ao tesouro de influenciador digital vira caso de polícia após denúncia de depredação em BH

Caça ao tesouro de influenciador digital vira caso de polícia após denúncia de depredação em BH

Testemunhas relataram danos na Praça da Liberdade e nas luzes de Natal ainda não inauguradas; influenciador nega tumulto

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Influenciador escondeu envelopes com R$ 1.000 na praça

Influenciador escondeu envelopes com R$ 1.000 na praça

Reprodução / Record Minas

Uma "caça ao tesouro" promovida por um influenciador digital virou caso de polícia, em Belo Horizonte, nesta sexta-feira (1°). Testemunhas denunciam que a ação terminou com danos à Praça da Liberdade, cartão-postal da cidade, e avarias em parte das luzes natalinas, que vão ser inauguradas na noite deste sábado (2).

Os seguidores de Thiago Henrique foram para a praça em busca de cinco envelopes que ele escondeu no local. Cada um deles tinha R$ 1.000. A espécie de gincana foi anunciada pelo criador de conteúdo em uma rede social em que ele tem aproximadamente 450 mil seguidores. O influenciador nega a existência de tumulto e defende que os seguidores não causaram quebradeira.

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu Whatsapp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

Um técnico responsável pela montagem das luzes natalinas, que prefere não ser identificado, relatou ao R7 que a confusão começou por volta das 18 horas. Ele conta que o grupo corria vasculhando os jardins e estruturas da praça.

"Tivemos problemas com a instalação das luzes e teve muito furto também. É uma situação que abre brecha para oportunistas, já que tinha muita gente mexendo nos gramados. Não tinha como diferenciar quem estava procurando os envelopes e quem estava se aproveitando da situação", declarou.

Testemunhas relatam danos às luzes natalinas

Testemunhas relatam danos às luzes natalinas

Reprodução / Record Minas

A Polícia Militar foi acionada. O boletim de ocorrência indica que havia pessoas com crianças no colo e aventureiros que se mantiveram no desafio mesmo debaixo de chuva.

O registro policial indica que "foram detectados danos na iluminação, tais como luzes arrancadas, enfeites queimados, tampa de energia arrancada, arbustos danificados, plantas pisoteadas, lixeiras aparentemente quebradas, com lixo espalhado por toda a praça".

Em entrevista à reportagem, Thiago Henrique declarou que não teve a intenção de promover depredação. Ele acusa as testemunhas de indicarem no boletim de ocorrência lixeiras que já estavam estragadas.

"Inclusive vale a ressalva que se realmente houvesse ocorrido algum ato real de vandalismo ou destruição da praça, os feitores desses atos, com certeza, teriam sido encaminhados até a delegacia, o que não ocorreu, e o que afirmo ainda , não ser o perfil dos meus seguidores", declarou em nota.

Após o ocorrido, Thiago publicou em redes sociais vídeos relatando que um seguidor teria sigo agredido por policiais durante a ação. No boletim de ocorrência, militares responsáveis pelo caso classificaram o relato como calunioso. A PM ainda não se manifestou sobre o ocorrido.

A Polícia Civil investiga o caso, embora ninguém tenha sido conduzido à delegacia. "Tão logo acionada sobre os acontecimentos, encaminhou a perícia oficial ao local dos fatos para a coleta de vestígios que subsidiarão as investigações", informou a instituição em comunicado.

"Primeira e última vez que fiz essa ação. A gente faz para ajudar e tem é dor de cabeça", declarou Thiago Henrique ao R7.

Segundo a Secult (Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais), a inauguração da iluminação natalina está mantida.

Últimas