Minas Gerais Cadela que ajudou em prédio de SP reforça buscas em Brumadinho

Cadela que ajudou em prédio de SP reforça buscas em Brumadinho

Cachorra Sarah, do Corpo de Bombeiros de São Paulo, participou da busca por corpos no prédio que desabou no Largo do Paissandu

Brumadinho

Cadela Sarah está em Brumadinho na busca por corpos

Cadela Sarah está em Brumadinho na busca por corpos

Márcio Neves/R7

A cadela Sarah, do Corpo de Bombeiros de São Paulo, a mesma que ajudou a localizar corpos nos destroços do desabamento de um prédio no largo do Paissandu, na capital Paulista, está em Brumadinho (MG), auxiliando nas buscas e localização de corpos após o rompimento de uma barragem da Vale Mineração na cidade.

A cachorra, de 4 anos, já conhecida dos paulistas, e Cleó, de 3 anos, acompanhadas dos soldados Wesley Masero e Gabriel Soares e do cabo Gerson Ferreira, percorreram, só nesta sexta-feira (1), cerca de 15 mil metros quadrados em buscas de corpos das vítimas.

Leia também: Com tiros, agentes executam animais na lama de Brumadinho

Os dois animais, ao lado de cães do Corpo de Bombeiros do Espírito Santo, reforçam as buscas junto com os cães do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, que desde o primeiro dia da tragédia atuam na chamada “área quente” de resgate.

“O apoio destes animais é imprescindível já que facilmente eles identificam o cheiro de uma pessoa sob a terra”, explica o cabo Gerson Ferreira. Instantes depois de falar com o R7, os animais eram requisitados pelo comando de operações de buscas para auxiliar na identificação de uma área onde há suspeita da presença de corpos.

R7