Coma alcoólico representa 73% das ocorrências no Carnaval de BH

Segundo o Corpo de Bombeiros, jovens de 16 a 25 anos são os mais atendidos; Polícia Militar fala em queda de 45% nos crimes violentos

Excesso de álcool é principal ocorrência no Carnaval

Excesso de álcool é principal ocorrência no Carnaval

Daniela Fernandes/ R7 Minas

Sete em cada dez ocorrências atendidas pelo Corpo de Bombeiros no Carnaval de Belo Horizonte está relacionado ao consumo excessivo de álcool.

São casos de coma alcoólica e até queda de pessoas que abusaram da bebida e chegaram a registrar algum trauma, seja de face ou até mesmo traumatismo craniano. 

De acordo com o capitão Felipe, do Corpo de Bombeiros, a grande maioria dos casos é de jovens de 16 a 25 anos. 

— A gente faz uma campanha de conscientização no Carnaval e pedimos para que as pessoas bebam com consciência. Isso porque, muitas vezes, uma ocorrência de intoxicação por excesso de álcool pode se transformar em algo mais grave, como uma ocorrência de trauma.  

Os Bombeiros alertam para que foliões observem o estado dos amigos e, se houver excesso no consumo de álcool, que a pessoa seja hidratada e alimentada até se recuperar. 

— Isso para não evoluir para uma ocorrência mais grave. Tivemos um caso em que uma mulher teve uma queda em um bloco de Carnaval e quebrou os dentes. O Carnaval acabou para ela ali. 

Queda nos crimes

De acordo com a Polícia Militar, o Carnaval em Belo Horizonte e no interior do Estado registra queda de 45% nos crimes violentos. De acordo com a capitão Layla, outros crimes, como roubo e furto de celular, homicídio e importunação sexual também estão em queda.