Minas Gerais Combustível caro faz motoristas abandonarem apps de corrida

Combustível caro faz motoristas abandonarem apps de corrida

Alta da gasolina e baixo pagamento pelas viagens afastaram 50% dos condutores e causam demora na hora de conseguir corridas

  • Minas Gerais | Akemí Duarte, da Record TV Minas

Muitas pessoas que tem o costume de usar aplicativos de transporte estão enfrentando dificuldade na hora de conseguir um carro. Essa demora ao conseguir uma corrida está sendo causada por fatores como o aumento nos combustíveis e as baixas tarifas dos apps, que estão afastando os motoristas desse tipo de serviço.

De acordo com o Sicovapp (Sindicato dos Condutores de Veículos que Utilizam Aplicativos do Estado de Minas Gerais), nos últimos 12 meses, 50% dos condutores cadastrados abandonaram as plataformas ou deixaram de rodar com regularidade. Segundo a presidente do sindicato, Simone Almeida, todos esses fatores têm feito os motoristas escolherem mais antes de aceitarem uma corrida.

— Nós estamos pagando para trabalhar, não estamos tendo lucro. Com essas tarifas e com tudo subindo, não tem a menor condição de ser motorista de aplicativo.

O motorista Eude Poletti, que trabalha há quase 5 anos em aplicativos de transporte, reclama do baixo valor pago pelas plataformas, que teriam reduzido a tarifa mínima de R$ 7,50 para R$ 6,50. Poletti confessa que seleciona bem as corridas para conseguir ter lucro em seu trabalho.

— Se a viagem não pagar R$ 2 por km, não vale a pena. Menos que isso, é pagar para trabalhar.

Reprodução / Record TV Minas

Segundo o sindicato, há sete anos não há reajustes nas taxas dos aplicativos e o percentual repassado ao motorista só cai. No começo de julho, a presidente do Sicovapp participou de uma audiência pública na BHTrans e cobrou que a “lei dos aplicativos”, sancionada pelo prefeito Alexandre Kalil (PSL) em 2019 , entre em vigor.

As reclamações feitas pelos motoristas e pelo sindicato foram repassadas para os representantes da plataforma em uma reunião, mas, segundo Simone Almeida, a resposta não agradou a categoria.

— Os representantes simplesmente disseram que seguem o fluxo, mas não tem culpa da gasolina estar cara. Isso foi registrado na ata da reunião.

A reportagem entrou em contato com as empresas responsáveis pelos principais aplicativos de carro para falar sobre as reclamações dos motoristas, mas ainda não obtivemos retorno.

Últimas