Minas Gerais Construção do Rodoanel na Grande BH deve ir para licitação em 2021

Construção do Rodoanel na Grande BH deve ir para licitação em 2021

Governo de Minas vai concluir na próxima semana o projeto da via que promete desafogar o trânsito do Anel Rodoviário, que corta a capital mineira

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Governo ainda não precisou data para início das obras

Governo ainda não precisou data para início das obras

Reprodução / Freepik

O Governo de Minas Gerais espera definir até novembro de 2021 a empresa que será responsável pela construção do Rodoanel que promete tirar o trânsito pesado do Anel Rodoviário, que corta Belo Horizonte.

A informação foi confirmada pelo secretário de Infraestrutura e Mobilidade, Fernando Marcato, nesta quarta-feira (16), durante coletiva para fazer um balanço das ações dos dois primeiros anos da gestão Zema.

Segundo Marcato, a revisão do projeto que organiza a concessão da obra à iniciativa privada deve ser concluída até a próxima semana. O passo seguinte será uma consulta pública onde os interessados vão avaliar a proposta e indicar possíveis inconsistências - o que deve ser feito entre janeiro e fevereiro de 2021.

Passada a fase da consulta pública, o Governo Estadual já poderá lançar o edital de licitação do serviço.

— Nós já fizemos duas rodadas de sondagem de mercado, que envolveram mais de 16 empresas nos últimos dois meses, que indicaram que o nosso projeto é viável.

A obra, que deve ter investimento inicial de R$ 6 bilhões, vai beneficiar diretamente 10 cidades, impactando a vida de 5 milhões de pessoas direta e indiretamente.

O governo não deu, contudo, a previsão para início e conclusão da nova via que ligará as rodovias que passam pela região metropolitana de Belo Horizonte. Marcato explicou, ainda, que o projeto vai ser dividido em quatro alças e será construído aos poucos.

— É um sonho antigo da região metropolitana retirar toda a carga que passa hoje pelo Anel Rodoviário que já se transformou em uma via urbana. Temos que tirar esta carga de dentro da cidade.

Concessões

Durante o evento, Mercato anunciou que a concessão do Rodoanel não será o único projeto a sair do papel em 2021. A equipe do governador Romeu Zema (Novo) também espera licitar no próximo ano a ampliação do Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte.

— Esse projeto vai além de uma concessão de aeroporto. Ele vai permitir um desenvolvimento imobiliário forte e desenvolver o mercado na região. O turismo de alto nível virá para a Pampulha.

O secretário também espera oferecer a estrutura do ginásio Mineirinho, na região da Pampulha, para iniciativa privada.

— O plano para o Mineirinho é transformá-lo em um centro de entretenimento e gastronomia.

O pacote de privatizações avaliado pela gestão como um dos mais arrojados da história de Minas Gerais ainda prevê a administração particular em parques, como a rota de grutas Peter Lund, que já tem edital aberto.

Nas rodovias, a expectativa é de conceder 3.250 km de estradas entre 2021 e 2022. O investimento nas pistas será de R$ 7 milhões, gerando 30 mil empregos direta e indiretamente.

Segundo Marcato, as iniciativas no setor já realizadas entre 2019 e 2020 garantiu a conclusão de obras em rodovias, como a duplicação da MG-050 e a inclusão de pontos com terceira faixa na BR-135.

— Temos que parar com a ideia de que o Estado consegue fazer tudo. Talvez não vamos estar executando [a obra], mas vamos fiscalizar para garantir a qualidade do serviço.

Últimas