Minas Gerais Crianças fazem campanha por mais tempo de recreio em escola de BH

Crianças fazem campanha por mais tempo de recreio em escola de BH

Demanda dos alunos de 7 a 9 anos surgiu após o intervalo ser reduzido em razão da pandemia; colégio atendeu ao pedido

  • Minas Gerais | Giovana Maldini*, do R7

Alunos citam Paulo Freire em cartaz

Alunos citam Paulo Freire em cartaz

Reprodução/Record TV

Crianças de 7 a 9 anos de uma escola particular de Belo Horizonte se mobilizaram para produzir cartazes em prol de uma demanda muito estimada pelos alunos: mais tempo de recreio.

Os estudantes fizeram cartazes com os pedidos e a demanda foi levada para uma assembleia da Escola da Serra, na região centro-sul de Belo Horizonte.

Eliane Dantas, representante do colégio, conta que a insatisfação surgiu no retorno presencial na pandemia, já que o tempo de descanso precisou ser dividido entre 15 minutos para o lanche e outros 15 de tempo livre no pátio, devido aos protocolos de Covid-19.

Após uma aula de português sobre cartazes, a ideia surgiu e os alunos se mobilizaram. Eliane conta que essas reivindicações são comuns na escola e que a instituição reagiu bem ao protesto das crianças.

– A escola valoriza o tempo do recreio porque é um momento de socialização das crianças, em que elas brincam livremente, sem que um adulto dirija a brincadeira. Trata-se de uma ocasião que possibilita às crianças lancharem com calma e descansarem suficientemente.

Para a alegria dos "manifestantes", o pedido foi atendido.

– Se está coerente com a proposta pedagógica, a escola atende. Por exemplo, as crianças pediram uma casa na árvore e a instituição inaugurou há pouco tempo uma para elas. O nome da casa foi escolhido por votação. São exercícios democráticos.

Veja também: Ideia de criança de 3 anos transforma lixão em praça em MG

Paulo Freire

Em um dos cartazes, um dos alunos citou o nome de Paulo Freire, educador e filósofo brasileiro do século XX. Na imagem, a criança desenhou o pensador que estaria saindo do túmulo para protestar por mais tempo de intervalo na instituição.

Eliane Dantas conta que, desde abril, as crianças têm aprendido sobre o educador, por ele ser uma referência para a escola em um modelo de educação verticalizado. 

O protesto feito pelas crianças conseguiu aumentar o tempo de recreio. A escola determinou que cada sala tenha 15 minutos a mais no intervalo, em três dias na semana.

Reivindicações de alunos são comuns na escola

Reivindicações de alunos são comuns na escola

Reprodução/Record TV

*Estagiária do R7, sob supervisão de Pablo Nascimento

Últimas