Minas Gerais Dia Mundial da Língua Portuguesa: novo dicionário traz diferenças linguísticas dos países lusófonos

Dia Mundial da Língua Portuguesa: novo dicionário traz diferenças linguísticas dos países lusófonos

Academia das Ciências de Lisboa (ACL) lançou dicionário digital e gratuito com mais de 100 mil palavras 

Português é a língua oficial de 9 países

Português é a língua oficial de 9 países

Reprodução/Academia das Ciências de Lisboa

No dia 5 de maio, é celebrado o Dia Mundial da Língua Portuguesa. Idioma oficial de 9 países, o português possui diferentes variações em cada um deles. Instrumento importante para o fortalecimento da identidade nacional, a língua é diretamente afetada pelo contexto cultural de cada país. Se no Brasil, banheiro é o local onde toma-se banho; em Portugal, banheiro é o nome dado ao que nós chamamos de “salva-vidas”. 

·  Compartilhe esta notícia no Whatsapp
·  Compartilhe esta notícia no Telegram

No Brasil, muitas palavras têm origem indígena, como catapora, que vem do tupi tata’pora. Em Portugal, a doença infectocontagiosa é chamada de varicela, do francês “varicelle”. As diferenças são muitas e categorizá-las é uma tarefa difícil, mas foi o que a Academia das Ciências de Lisboa (ACL) se propôs a fazer em seu novo “Dicionário da Língua Portuguesa”. 

Lançado no último dia 13 de abril, em Portugal, o dicionário foi publicado em formato digital. Com mais de 100 mil palavras e disponível, gratuitamente, no site da ACL, a versão pretende ser uma referência no universo da lusofonia com o objetivo de promover uma representação global da língua portuguesa.

Com esse objetivo, expressões e palavras de outros países lusófonos também foram incluídas no dicionário, como mandioca e catapora. Além disso, o dicionário também explica os diferentes significados que uma palavra pode ter em cada país, como no caso de banheiro, peão, bala, comboio, entre outras. 

O dicionário começou a ser montado em 2015, levou oito anos para ser concluído e foi lançado em abril deste ano. O presidente da Academia Mineira de Letras (AML), Rogério Faria Tavares, participou da sessão de lançamento e enalteceu o acesso gratuito, integral e permanente da versão digital.  

Presidente da AML esteve presente no lançamento da obra

Presidente da AML esteve presente no lançamento da obra

Reproução/Redes Sociais

“Ele pode ser atualizado em tempo real. É um dicionário diverso e em constante evolução, como é a própria língua”, disse Tavares.   

O presidente da AML ainda reforçou a importância cultural, política e econômica dos dicionários. “É um instrumento para fixação da língua e a língua é um dos principais instrumentos para o fortalecimento da identidade nacional. A potência de um idioma tem uma dimensão econômica e comercial. Um exemplo é o predomínio do inglês depois da Segunda Guerra Mundial, que assinala a hegemonia americana no mundo”, explicou Tavares.  

De acordo com a Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), são nove os países que têm a língua como idioma oficial. São eles: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné-Equatorial, Moçambique, Portugal, Timor-Leste e São Tomé e Príncipe. 

Academia das Ciências de Lisboa 

A Academia das Ciências de Lisboa foi fundada em 1779 por Dona Maria I. Em 1793, houve a primeira tentativa de compor um Dicionário da Língua Portuguesa, mas o esforço não passou da letra A. Quase 200 anos depois, em 1976, a Academia tentou pela segunda vez, mas também não conseguiu.  

Em 1988, deu-se início o projeto que resultou em um dicionário completo. O trabalho durou 13 anos e, em 2001, foi publicado o Dicionário da Língua Portuguesa da Academia.  

Em 2015, começou o processo de atualização do Dicionário e, em 2023, foi publicada a primeira versão digital da obra.

Últimas