Minas Gerais Dona de asilo é presa suspeita de torturar idosos em Santa Luzia (MG)

Dona de asilo é presa suspeita de torturar idosos em Santa Luzia (MG)

Filha da mulher também foi detida pela prática de tortura; idosos relataram à polícia que eram vítimas de agressões e não eram alimentados

  • Minas Gerais | Hellen Oliveira, da Record TV Minas

Asilo cuidava de cerca de 50 idosos

Asilo cuidava de cerca de 50 idosos

Divulgação / Polícia Civil

A dona de um asilo particular e a filha dela foram presas, em flagrante, suspeitas de torturar idosos, em Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte. A corporação chegou ao local após receber denúncia de uma ex-cuidadora, que afirmou que os internos estariam sendo maltratados.

A delegada Bianca Prado conta que os idosos relataram que tomavam banho frio, eram trancados em um cômodo, agredidos e estavam sem alimentação.

— Quando eu cheguei no cenário, eu pude ver que maus-tratos era muito abaixo daquilo. Estávamos diante de um intenso sofrimento físico e mental.

Pelo menos quatro ambulâncias e viaturas foram usadas para socorrer oito idosos desnutridos que foram encaminhados para o hospital regional da cidade.

Aposentada de 93 anos vai pra cadeia por atrasar aluguel de asilo

A clínica funcionava há três anos no bairro barreiro do Amaral e hospedava cerca de 50 idosos. Uma gravação mostra um deles sendo atendido dentro da ambulância do município. O homem, que apresenta um ferimento na cabeça, afirma que foi agredido no local.

As prisões ocorreram nesta quinta-feira (25), mas só foram reveladas pela Polícia Civil, nesta sexta-feira (26).

A corporação revelou, ainda, que o asilo não tinha documentação e já havia sido notificado pela Vigilância Sanitária. Procurado, Wander Carvalho, secretário de Desenvolvimento Social de Santa Luzia, disse que já tinha sido feita uma fiscalização no local e que a prefeitura deu um prazo para clínica regularizar a situação. Segundo o representante da pasta, o Ministério Público pediu uma ordem judicial para fazer uma intervenção no estabelecimento.

— Foi feita uma notificação para que eles regulamentassem a liberação pela Vigilância Sanitária.

A Polícia Civil também vai investigar também as circunstâncias da morte de um idoso na última semana.

Últimas