Minas Gerais "Ele não cometeu nenhum crime", diz advogado de jogador sobre morte de jovem em SP 

"Ele não cometeu nenhum crime", diz advogado de jogador sobre morte de jovem em SP 

Clube mineiro é detentor dos direitos econômicos do meia Dimas, emprestado ao Corinthians para jogar no Sub-20

  • Minas Gerais | Maria Luiza Reis, Do R7 e Túlio Lopes, da Record Minas

Vínculo de empréstimo do meia com o Corinthians vai até janeiro de 2025

Vínculo de empréstimo do meia com o Corinthians vai até janeiro de 2025

Reprodução/Redes Sociais

O advogado Tiago Lenoir, que representa o jogador Dimas Cândido de Oliveira Filho, de 18 anos, garante que o jovem não cometeu nenhum crime e que ele e a garota tiveram relações sexuais consentidas. Na noite dessa terça-feira (30), uma jovem, de 19 anos, morreu após se encontrar com o jogador em um apartamento em Tatuapé, na região Sudeste da capital paulista.

O clube mineiro Coimbra, de Contagem, na Grande BH, é detentor dos direitos econômicos do meia Dimas, emprestado ao Corinthians para jogar no Sub-20. Na noite desta terça-feira (30), o jogador prestou depoimento na delegacia da Polícia Civil, em Tatuapé, na madrugada desta quarta. 

Segundo o advogado Tiago Lenoir, os dois se conheceram pelas redes sociais e o encontro da noite desta terça-feira foi o primeiro entre Dimas e a jovem. "Na manhã de ontem, eles combinaram de encontrar no final do dia no apartamento dele. Ela foi até o apartamento dele, eles tiveram relações sexuais consentidas e com o uso de preservativos", disso o advogado. 

Lenoir explica que assim que Dimas percebeu que a garota não estava bem, ele acionou o SAMU. "Ele percebeu que ela estava inconsciente e ligou para o SAMU. O SAMU orienta ele a iniciar algumas massagens cardíacas e a fazer os primeiros socorros. O SAMU chega muito rápido e continua fazendo essas massagens cardíacas e ela retoma os sinais vitais. Eles deslocam ela até o hospital, o Dimas acompanha ela dentro do da ambulância o tempo todo. Alguns minutos após chegarem ao hospital, ela falece. 

O advogado ainda disse que Dimas negou qualquer uso de drogas dentro do apartamento e que os cigarros eletrônicos encontrados dentro do imóvel eram da jovem Livia Gabriele da Silva Matos.

Lenoir reforçou que Dimas permanece disponível para esclarecimento dos fatos e que está transtornado com o acontecido. A jovem morreu após sofrer quarto paradas respiratórias e um forte sangramento na região da genital.

Veja o que a polícia fala sobre o caso:

Últimas