"Embaixador cósmico" prevê nova visita de 144 mil ET's a BH

Prefeitura negou pedido de pouso de espaçonave na Praça Sete, em dezembro de 201

Walmir de Souza Marques prevê pouso de nave espacial em BH

Walmir de Souza Marques prevê pouso de nave espacial em BH

Facebook/Reprodução

Mais uma vez, o homem que se apresenta como "embaixador cósmico" está prevendo um desembarque de extraterrestres em Belo Horizonte. Esta seria a terceira vez que Walmir de Souza Marques, de 54 anos, anuncia o pouso de uma nave espacial no centro da capital mineira. Mas, até hoje, nenhuma de suas previsões se concretizou.

Segundo Marques, que também se apresenta como professor de ciência futura, a chegada dos ET's nunca aconteceu por falta de autorização dos governantes locais. Em 2012, ele procurou a Prefeitura de BH e, no ano passado, se reuniu com assessores da presidente Dilma Rousseff. Entretanto, não conseguiu permissão das autoridades para o pouso.

— A primeira tentativa de negociação foi em 21 de dezembro de 2012 para o pouso de uma astronave, mas a Prefeitura recusou tudo. 

Leia mais notícias no R7 MG

Desta vez, a previsão é de que um portal seja aberto no dia 25 de julho e, se autorizado pelo governo local, cerca de 144 mil extraterrestres devem desembarcar de uma nave espacial na Praça 7. Os alienígenas, na verdade, seriam pessoas que teriam desaparecido em todo o mundo e que estariam em outra dimensão.

— Entre essas pessoas estão os desaparecidos do avião da Malaysia [que sumiu durante uma viagem de Kuala Lumpur para Pequim em 8 de março de 2014].

Crise hídrica

Uma solução apontada pelo embaixador cósmico para o problema da crise hídrica no Brasil seria a construção de um elevador do obelisco da Praça 7 até a Lua. Ele garante que a obra é viável e permitiria a extração de água do asteroide para o abastecimento da população terrestre. No entanto, segundo Marques, os governos não têm interesse porque, dessa forma, não teriam como cobrar pelo serviço de saneamento.

— Já existe uma tecnologia para trazer água da lua porque aqui onde estamos, na terceira dimensão, a única alternativa é a Copasa [Companhia de Abastecimento de Minas Gerais], mas ela já está com suas possibilidades esgotadas.