Minas Gerais "Escola é um antro de contágio", diz Kalil ao vetar volta às aulas em BH

"Escola é um antro de contágio", diz Kalil ao vetar volta às aulas em BH

Prefeito afirmou, ainda, que suspender o alvará das escolas da capital mineira foi uma medida prática para evitar uma "corrida à Justiça"

Prefeito descartou retorno às aulas

Prefeito descartou retorno às aulas

Divulgação / PBH / Amira Hissa

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD) rechaçou nesta segunda-feira (28), uma eventual retomada das atividades presenciais nas escolas da capital mineira. 

Em entrevista coletiva realizada na sede do Executivo municipal Kalil confirmou que não há data para que isso possa ocorrer.

- A escola, está provado aqui e no mundo, é um antro de contágio. 

Segundo o prefeito, o impacto de colocar 865 mil alunos de volta às aulas presenciais seria muito grande. 

- Ninguém aqui prefere filho em parques, em clubes ou em bares, que estão abertos. Nós queremos nossos alunos estudando.  

A declaração foi dada uma semana depois de um imbróglio judicial envolvendo prefeitura, Ministério Público Federal e Colégio Militar de Belo Horizonte. A instituição ligada ao Exército decidiu retomar as atividades no dia 21 de setembro mas recuou no dia seguinte. Após esse episódio, a Prefeitura de BH decidiu suspender os alvarás de todas as escolas da cidade. 

Sobre esse episódio, Kalil afirmou que essa foi uma questão "prática".

- Era para evitar uma corrida na Justiça que se ensaiou na abertura da escola do Exército.  

Ainda de acordo com o prefeito não é possível liberar o funcionamento de uma escola e não autorizar as demais a funcionar. 

Últimas