Minas Gerais “Estarrecido”, diz Zema sobre assassinato de pré-candidato em MG

“Estarrecido”, diz Zema sobre assassinato de pré-candidato em MG

Governador lamentou o crime e defendeu tolerância no meio político; Romeu Zema ainda pediu "cadeia" para "criminosos que agem com brutalidade"

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Governador pediu tolerância no meio político

Governador pediu tolerância no meio político

Divulgação / Governo MG / Pedro Gontijo

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), declarou, na manhã desta sexta-feira (25), estar “estarrecido” com o assassinato do pré-candidato a vereador de Patrocínio, a 381 km de Belo Horizonte, Cássio Remis (PSDB).

Em nota, Zema defendeu tolerância no meio político e pediu punição para “criminosos que agem com brutalidade”.

“É inadmissível que o ambiente político se transforme nisso. É preciso ter tolerância. Minha solidariedade à família dele. E para criminosos que agem com brutalidade: o rigor da lei e cadeia”, escreveu o governador nesta manhã.

O crime

Remis foi assassinado enquanto tentava reaver o telefone celular que teria sido tomado por Jorge Marra minutos antes, quando o pré-candidato fazia uma live na internet.

O postulante ao cargo de vereador denunciava na transmissão ao vivo uma suposta obra que a prefeitura que iria beneficiar a instalação do comitê de campanha de Deiró Marra em uma casa na região.

Veja: Vídeo mostra assassinato de candidato a vereador em Minas

O crime aconteceu em frente à sede da Secretaria de Obras. Segundo a polícia, o suspeito disparou cinco tiros contra a vítima.

Remis foi vereador de Patrocínio entre os anos de 2009 e 2016. Neste período, o político chegou a presidir a Câmara Municipal. O corpo da vítima será enterrado no início da tarde desta sexta-feira (25). O suspeito do crime ainda não foi localizado.

Últimas