Minas Gerais Fábrica de bactéria que vai combater dengue em MG deve ficar pronta em maio

Fábrica de bactéria que vai combater dengue em MG deve ficar pronta em maio

Governador aposta na modificação do mosquito Aedes aegypti para um possível fim das doenças ligadas a ele no estado

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Drones vão sobrevoar casas com focos do mosquito

Drones vão sobrevoar casas com focos do mosquito

Reprodução / Agência Brasil

A fábrica em Minas Gerais de mosquitos modificados pela bactéria Wolbachia, aposta contra as doenças causadas pelo Aedes aegypti, deve ficar pronta até maio deste ano.

O anúncio foi feito pelo Governador Romeu Zema (Novo), durante entrevista ao Balanço Geral Minas, nesta sexta-feira (2). O estado registrou aumento de casos no início de 2024.

A biofábrica vai produzir mosquitos portadores da bactéria Wolbachia. Quando presente nos insetos, ela impede o desenvolvimento dos vírus da dengue, zika, chikungunya e febre amarela neles. Assim, a ideia é que soltos no meio ambiente, os insetos infectados se reproduzam e aumentem a população de mosquito capaz de infectar seres humanos.

"Esperamos que seja o último surto de dengue", declarou o governador ao comentar que já há mosquitos alterados soltos no estado.

Dentre as medidas do estado para o combate às doenças está a liberação de R$ 112 milhões para as prefeituras adquirirem equipamentos e insumos. Na lista de recursos adotados está o uso de drones que vão identificar focos de proliferação do Aedes aegypti. Quando não for possível localizar os proprietários dos imóveis, o próprio veículo não tripulado vai colocar o inseticida na área.

Questionado sobre a disponibilização da vacina contra a dengue nos postos de saúde, Zema disse que aguarda o envio do material pelo Ministério da Saúde. "Lembrando que a vacinação é destinada a jovens de 10 a 14 anos. É uma definição do Ministério da Saúde. Ela vai ser direcionada às cidades onde o surto é mais grave", completou.

De acordo com o Governo Federal, a previsão é que 22 cidades mineiras recebam o imunizante. Os municípios fazem parte das regiões de saúde Coronel Fabriciano, Timóteo, Belo Horizonte, Nova Lima e Caeté. Segundo o Governo de Minas, o material deve chegar até novembro.

Balanço

Até o levantamento mais recente da SES (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais), da última segunda-feira (29), Minas Gerais registrava 64.724 casos prováveis (casos notificados, exceto os descartados) de dengue. Desse total, 23.389 foram confirmados para a doença. Na data, o sistema do governo estadual indicava uma morte, mas as prefeituras de Belo Horizonte e Contagem confirmaram mais duas mortes em cada cidade, nesta quinta-feira (1º).

Em relação à febre Chikungunya, eram 8.682 notificações prováveis, das quais 6.206 foram confirmados. Até o momento, um óbito foi confirmado por Chikungunya em Minas Gerais e dois estão em investigação. Já em relação ao vírus Zika, foram oito casos prováveis.

Entrevista com Zema

Durante a entrevista ao Balanço Geral Minas, Zema também falou sobre as medidas de segurança para o Carnaval 2024, as expectativas sobre a renegociação da dívida do estado com a União e obras futuras. Assista à íntegra abaixo:

Últimas