Minas Gerais Familiares de pessoas com deficiência criticam falta de vacina

Familiares de pessoas com deficiência criticam falta de vacina

Pessoas com deficiência devem esperar a imunização de todo o grupo de pessoas com comorbidades para serem vacinadas

A família de uma jovem com deficiência múltipla e problemas respiratórios denuncia a exclusão de pessoas com deficiências nesta etapa da vacinação da covid-19. Após o cadastro no site da Prefeitura de Belo Horizonte, Izabela, de 31 anos, foi levada por familiares até um posto de saúde, mas não recebeu a dose.

Izabela não conseguiu ser vacinada contra covid-19

Izabela não conseguiu ser vacinada contra covid-19

Reprodução / Record TV Minas

De acordo com o PNI (Plano Nacional de Imunização), do Ministério da Saúde, as pessoas com deficiências fazem parte do grupo prioritário. Mas, a vacinação delas só vai começar depois que o grupo de pessoas com comorbidades, entre 18 e 59 anos, receber as doses contra a covid-19.

A irmã da jovem, Luciana Fossi, conta que ficou impressionada com a desinformação entre os funcionários sobre quando Izabela poderá ser vacinada.

— A minha mãe conversou com a médica que estava de plantão e perguntou quando ela poderia ser vacinada. Mas não sabiam falar nem quando e nem como seria essa imunização.

Debate

O assunto chegou a ser discutido pela Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência na Assembleia Legislativa como tentativa de agilizar a imunização desse grupo. Mas, segundo a Prefeitura de BH, não há como alterar a ordem da fila.

O superintendente voluntário da Federação das Apaes do Estado de Minas fala da necessidade de prioridade da vacinação para as pessoas com deficiência.

— Deficientes físicos, cegos e autistas por vezes não têm condições de tomar medidas preventivas contra a covid-19. O cego, por exemplo, usa as mãos; o autista tem dificuldade para usar máscara; e os deficientes físicos têm uma tendência a infecções urinárias.

Prioridade na vacinação 

De acordo com o diretor de promoção à saúde e vigilância epidemiológica da Prefeitura, as pessoas beneficiárias do BPC (Benefício de Prestação Continuada), da Secretaria de Assistência Social, são priorizadas para vacinação em detrimento dos outros que não têm esse benefício.

A Secretaria de Saúde de Minas Gerais informou que segue as recomendações do Ministério da Saúde para a Campanha Nacional de Vacinação contra a covid-19. E que neste momento são imunizadas as pessoas com deficiência permanente de 55 a 59 anos, cadastradas no programa BPC. Já na segunda fase, serão vacinadas pessoas com deficiência permanente beneficiárias do BPC, de 18 a 54 anos, seguindo as faixas de idade decrescente.

As pessoas com deficiência que não são beneficiárias do BPC serão vacinadas após a etapa atual, do grupo de pessoas com comorbidades.

Últimas