Filho é preso suspeito de matar a mãe e esconder corpo em mala

Segundo a polícia, Riziomar Monteiro da Silva Ferreira, de 57 anos, foi esquartejada; corpo da vítima foi encontrado em Belo Horizonte

Corpo foi escondido em mala

Corpo foi escondido em mala

Reprodução/Record TV Minas

Uma mulher de 57 anos foi encontrada morta e esquartejada dentro de uma mala, no bairro Canaã, na região Norte de Belo Horizonte, nesta sexta-feira (24). Um homem de 30 anos, que é filho da vítima, foi preso suspeito de ser o responsável pelos crimes.

A mala com o corpo da vítima foi encontrada por um pedestre em uma avenida do bairro que fica na divisa com a cidade de Santa Luzia, na Grande BH, próximo à rota de acesso ao Aeroporto Internacional de Belo Horizonte. Além da mala, roupas e documentos também foram deixados no local.

Uma atividade do EJA (Educação de Jovens e Adultos) encontrada ao lado das sacolas ajudou os investigadores a identificarem a vítima, Riziomar Monteiro da Silva Ferreira. Os policiais fizeram contato com a família, que ainda não sabia do desaparecimento da mulher.

A mãe da vítima e o filho dela estavam em uma igreja rezando no momento em que foram encontrados. Ao fazer buscas na casa onde Riziomar morava, os policiais constararam que a mulher teria sido morta em um dos quartos. O delegado Guilherme Catão, responsável pelo caso, explica que os peritos encontraram um lençol sujo de sangue no local. Ainda segundo o investigador, o homem já teria agrido a mãe outras vezes.

— Encontramos sinais do mesmo tipo sanguíneo da vítima no local. A mulher estava decaptada e a cabeça ainda não foi encontrada.

Dinâmica

Câmeras de segurança ajudaram a polícia chegar até o carro que teria abandonado a mala na avenida. O motorista é um vizinho da vítima, que foi levado para prestar depoimento. O homem relatou aos agentes que foi contratado pelo filho de Riziomar para fazer um carreto. 

De acordo com Catão, o motorista contou que o vizinhou colocou a mala e alguns objetos na carroceria do veículo e os dois seguiram viagem. No meio do caminho, o homem teria ordenado a parar o carro e jogador os objetos na avenida.

Quando o suspeito do crime foi encontrado, ele estava com uma navalha e um canivete na cintura. Catão explica que o homem não justificou o que teria ocorrido e foi autuado por feminicídio e destruição de cadáver. O motorista contratado foi ouvido e liberado.

— O motorista não é o autor do crime. Conseguimos prender o suspeito, que é filho da vítima, em pouco tempo com a ajuda da Polícia Militar e com o empenho da Polícia Civil no sentido de investigar o fato.

Procurada, a Polícia Civil informou que abriu um inquérito para investigar a motivação do crime.