Minas Gerais Fiscal de supermercado é morto por suspeito de furtar chocolate em BH

Fiscal de supermercado é morto por suspeito de furtar chocolate em BH

Vítima havia completado 43 anos dois antes de ser morto; suspeito tem 24 anos e diz ter cometido o crime pelo "vício em chocolate"

  • Minas Gerais | Gabriel Rodrigues, da Record TV Minas

Helicóptero da PM ajudou a localizar suspeito

Helicóptero da PM ajudou a localizar suspeito

Reprodução / Record TV Minas

Um fiscal de supermercado foi morto na noite, desta segunda-feira (23), enquanto tentava impedir a fuga de um suspeito de furtar chocolates no estabelecimento, no bairro Vila Suzana, na região da Pampulha, em Belo Horizonte.

As imagens de circuito interno do local mostram o momento em que o suspeito é abordado pela vítima. Segundos depois, outro funcionário chega para ajudar a conter o rapaz. Segundo testemunhas, o suspeito estaria armado com uma faca e tentou agredir diversas pessoas durante a fuga.

Dois funcionários do estabelecimento e um policial militar, que estava de folga e fazia compras no local, ficaram feridos ao tentar conter o criminoso. O jovem conseguiu escapar e, na saída, foi abordado pelo fiscal Vagner de Jesus Santos. Ele também tentou impedir a fuga do suspeito, mas foi esfaqueado e morreu no local. A vítima havia completado 43 anos de idade no último sábado (21).

A Polícia Militar foi acionada e fez buscas nas imediações com o apoio de um helicóptero. O suspeito, Jairo Lineu Silva Viana, de 24 anos, foi localizado e preso pouco tempo depois. Aos militares, ele afirmou ser viciado em chocolate.

A família da vítima esteve no local. Os pais do fiscal estavam muito abalados e não quiseram gravar entrevista. A manicure Luzia Juliana, ex-esposa do homem, afirma que o fiscal havia sido transferido para o local justamente pela onda de criminalidade e afirma que o ex-companheiro sempre foi carinhoso e respeitoso.

— Ele era do setor de cima e foi colocado na parte de baixo há pouco tempo, porque aqui é muito perigoso. Ele foi um bom pai, não posso reclamar de nada.

A Polícia Civil esteve no local e realizou a perícia. O corpo da vítima foi encaminhado para o IML (Instituto Médico Legal) e, na sequência, liberado para sepultamento. Os outros dois fiscais e o policial agredidos pelo suspeito não correm risco de morrer.

Últimas