Minas Gerais Governo corrige lista e diz que Backer tem 53 lotes contaminados

Governo corrige lista e diz que Backer tem 53 lotes contaminados

Último levantamento divulgado pelo Ministério da Agricultura indicava que 55 lotes de cervejas da empresa continham duas substâncias tóxicas

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Divulgação / Backer

O Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) corrigiu, nesta quarta-feira (19), a lista de lotes de cerveja da empresa Backer que estão contaminados com duas substâncias tóxicas. Com a mudança, o número passou de 55 para 53.

De acordo com a nota divulgada pelo órgão, o último balanço contabilizava dois lotes do rótulo Belorizontina repetidamente. As análises foram feitas pelo Laboratório Federal de Defesa Agropecuária após denúncias de que consumidores teriam passado mal e morrido após ingerirem produtos da marca mineira.

Os testes indicaram a presença de monoetilenoglicol e dietilenoglicol em garrafas de 12 rótulos da Backer. As substâncias são anticongelantes usados no resfriamento de tanques de produção. A cervejaria afirma que não utiliza dietilenoglicol em sua linha de produção.

Uma força-tarefa investiga o caso. Segundo a Polícia Civil, há 34 casos suspeitos de contaminação com a bebida, sendo que seis pacientes morreram. A fábrica da empresa está com as atividades paralisadas e as cervejas foram recolhidas do mercado.

A reportagem procurou a Backer para comentar a correção dos números, mas aguarda retorno.

Veja a lista de rótulos da Backer contaminados:

- Belorizontina
- Backer Pilsen
- Backer Trigo
- Brown
- Backer D2
- Capixaba
- Capitão Senra
- Corleone
- Fargo 46
- Layback D2
- Pele Vermelha
- Três Lobos Pilsen

Últimas